Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Sob ameaça de erupção vulcânica, Indonésia evacua 40 mil

25 Out 2010 - 07h28Por EFE

As autoridades da Indonésia iniciaram nesta segunda-feira a evacuação de 40 mil pessoas após elevar o nível de alerta de erupção do vulcão Merapi, na ilha de Java.

O vulcão, que entrou em erupção pela última vez em 2006, expulsou pequenas quantidades de lava que chegaram ao rio Gendol após aumentar sua atividade durante o fim de semana, informou a imprensa local.

O chefe de Centro de Vulcanologia alertou que as observações indicam que a erupção do Merapi pode ser semelhante à que ocorreu em 1930, quando 13 aldeias foram destruídas e 1.400 pessoas morreram.

Em 2006, o vulcão entrou em erupção após um terremoto na região de Yogyakarta, centro de Java, e provocou uma nuvem de cinza incandescente e gás que causou duas mortes.

Entre sexta-feira e sábado, os tremores vulcânicos no Merapi aumentaram de 321 a 525, enquanto o número de eruções de lava passou de 93 a 183.

A Indonésia está sobre o chamado "Anel de Fogo do Pacífico", uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica, e tem cerca de 400 vulcões, dos quais 129 estão ativos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico