Menu
SADER_FULL
terça, 17 de setembro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Sindicato Rural instala faixas na MS-157

29 Out 2004 - 07h21
As constantes ameaças de invasão por parte de grupos organizados de sem-terra, levaram o Sindicato Rural de Itaporã a realizar um protesto pacífico instalando faixas na rodovia MS-157, num trecho de 60 quilômetros, entre a cidade e o rio Santa Maria, na divisa com o município de Maracaju.
Segundo o presidente do Sindicato Rural de Itaporã, Maurício Saito, os produtores rurais do município instalaram as faixas, com a frase “Queremos Respeito – Paz no Campo”, nas entradas das principais propriedades rurais da região e também à margem da rodovia, como forma de protestar contra as constantes ameaças de invasões de suas propriedades.
Saito fez questão de ressaltar que o momento é do governo oferecer apoio aos pequenos produtores, que estão em dificuldades para trabalhar e cita como exemplo a redução da atividade desde o final da década passada. Segundo o dirigente rural, em oito anos caiu de 90 para 60 o número de barracões para a suinocultura e de 94 para 68 o número de apicultores – produtores de mel no município.
Para o dirigente ruralista, isso demonstra uma queda de cerca de 30% nessas atividades, desenvolvidas em pequenas propriedades rurais. Saito explicou que Itaporã conta atualmente com 890 propriedades até 30 hectares, as pequenas; 255 propriedades entre 280 e 300 hectares e apenas 109 acima de 300 hectares, consideradas grandes.
“Por isso, não tem fundamento as constantes ameaças que nós produtores estamos sofrendo por parte desses grupos organizados. Queremos, como dizemos nas faixas, respeito e paz no campo e não viver sob essa situação que nos deixa e a nossas famílias intranqüilas”, afirma o dirigente rural.
Outra explicação dada por Saito refere-se à alta produtividade no município. Segundo ele, em 52 mil hectares são produzidos anualmente cerca de 3.180 quilos de soja por hectare; em 4.800 hectares de várzea, 5.800 quilos de arroz irrigado por hectare e, na safrinha, em 37 mil hectares, 4.320 quilos de milho por hectare.
Saito contou com o apoio de Gino José Ferreira, presidente do Sindicato Rural de Dourados, para a instalação das faixas à margem da rodovia e lembrou que ontem, uma dessas ameaças se concretizou, somente que em outra cidade da região, Caarapó, que contou com a mobilização dos produtores em um município em que também a alta produtividade é registrada em suas propriedades rurais.
 
 
Diário MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
Em 'A dona do pedaço', Régis se aproxima de Maria da Paz, que fica mexida com ex
ALTOS HONORÁRIOS
Advogados cobram R$ 4,4 milhões de Viúva da Mega-Sena em honorários na Justiça
TRAGEDIA
Pai tenta salvar filho em incêndio, mas os dois morrem
MUNDO MEDONHO
'Pago boleto, compro calcinha': usuários de aplicativos de paquera relatam apuros e curiosidades
FAMOSIDADES
Belo sai de casa após flagrar traição de Gracyanne
ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber