Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 21 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Servo diz que teve cargo no Governo e se diz traído por Zeca do PT

26 Jun 2007 - 07h45

O empresário e ex-deputado estadual Nilton César Servo, preso durante a "Operação Xeque-Mate sob a acusação de chefiar um dos grupos da máfia dos caça-níqueis, revelou hoje, em entrevista exclusiva ao Midiamax, que foi traído duas vezes pelo ex-governador Zeca do PT, a quem apoiou durante a eleição para o governo do Estado. Após quase duas horas de conversa com a reportagem na sede da Superintendência da Polícia Federal em Campo Grande e o tempo todo algemado, Servo revelou os detalhes dos negócios que mantinha com caça-níqueis, além de sua ligação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A primeira traição de Zeca, segundo Servo, ocorreu quando ele teve a promessa de que sua esposa, a advogada Maria Dalva Cristina Martins, iria assumir a Fundação Estadual de Turismo, mas o ex-governador desistiu de indicá-la ao cargo cinco minutos antes da posse. “Ela estava presente no Palácio da Cultura, mas, cinco minutos antes de fazer o anúncio, o nome dela foi retirado da lista. Ela já estava preparada para assumir o cargo, levando companheiros e familiares”, afirmou.

Servo citou que essa situação foi “bastante difícil” e que estava levando “a primeira punhalada”. Para tentar resolver o problema, segundo Servo, Zeca pediu para que ele o procurasse em seu escritório, mas o ex-deputado preferiu não se envolver mais, pois já estava se sentido traído e magoado com o constrangimento que sua mulher teve que passar.

Zeca prometeu que iria então indicar Maria Dalva para assumir a Procuradoria Geral do Estado, mas a promessa também não foi cumprida. O cargo na Fundação de Turismo seria, inicialmente, ocupado pelo próprio Servo, conforme teria sido acordado em 1998 quando Zeca foi eleito governador com o apoio do empresário, mas, às vésperas das indicações, foi convencido a indicar a esposa, pois “haveria uma restrição a seu nome dentro da ala mais radical do PT”.

Lotesul

A segunda traição de Zeca, segundo Servo, ocorreu quando o ex-governador propôs que ele indicasse um nome para assumir a Lotesul. Servo indicou Benedito Nunes Faria, mas Zeca deixou que o indicado por Servo permanecesse no cargo por 28 dias. “Benedito era um homem honesto e de passado limpo”, garantiu.

Servo afirmou que acabou aceitando a indicação para o cargo da Lotesul “por pressão de amigos e para ter uma aproximação com o governo”. Ele afirmou que, na verdade, achava que eles estavam “lhe dando veneno”, já que ficaria com as mãos atadas porque também atua na atividade ligada a jogos.

O empresário citou ainda que teve um desentendimento pessoal com o ex-governador em Aquidauana e, após isso, só voltou a ter contato com o governador Zeca do PT durante as últimas eleições, quando ele disputou o cargo de deputado federal por Mato Grosso do Sul, através do PSB, partido que firmou coligação com o PT. “A política é muito dinâmica. Tive o prazer de encontrá-lo e assistir o ex-governador pedir votos em guarani para mim. Ele falou os números 4040 em guarani”, destacou.

João Leite Schimidt

Questionado se chegou a ter algum benefício ou apoio para o funcionamento das máquinas caça-níqueis durante o Governo Zeca do PT, Servo afirmou que “Zeca nunca me protegeu, o governo petista só me perseguiu, favoreceu outras pessoas, mas a mim só me perseguiu”, explicou Servo, sem, no entanto, citar quem seriam esses favorecidos.

Ele afirmou que estas perseguições vieram através de sanções, multas, fiscalizações e embargos. Neste momento difícil, segundo Servo, ele teve o apoio de um político e amigo, o presidente regional do PDT, João Leite Schimidt. “O Governo começou a criar dificuldade, principalmente através de policiamento, e graças a Deus naquele momento tive um político e amigo que foi muito solidário, que é o João leite Shcimidt. Ele me poupava de tanta perseguição, de tanta pressão, mas decidi vender minha parte no Real Bingo”, afirmou.

Ele afirmou ainda que Schimidt o ajudou mostrando que estava com os documentos em dia. “Mesmo eu estando com os documentos em dia a Polícia, não estava respeitando meus direitos”, disse Servo, completando que o presidente regional do PDT pediu para que as autoridades policiais respeitassem seus direitos.

Durante toda entrevista, Servo confirmou a atividade ligada a caça-níqueis e jogos, mas garantiu estar dentro da legalidade. Ele desafiou a Polícia Federal e disse que não há provas contra ele que é acusado de formação de quadrilha, contrabando e corrupção ativa.

Lula, Vavá e Morelli

Servo falou ainda da ligação com o presidente Lula e afirmou que “é amigo há mais de 20 anos do Lula, não do presidente”. Ele falou que o único contato que teve com Lula sobre a questão dos caça-níqueis foi em 2003 quando ligou na casa do amigo para pedir a regulamentação da questão dos bingos.

Ele citou ainda que Dário Morelli Filho, compadre de Lula, é “um amigo como irmão” e afirmou que nunca foi sócio dele, limitando-se a afirmar que possuía a casa de jogos em Ilhabela (SP) que fica nas proximidades de uma casa de Dario.

Ele falou ainda que conheceu Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão mais velho de Lula, através do próprio presidente. Ele afirmou que Vavá o procurou pedindo dinheiro emprestado, cerca de R$ 10 a R$ 15 mil. “Falei que ia ajuda-lo e emprestei R$ 6 mil”.

Marco Ribeiro

Servo criticou ainda a ação da PF em prendê-lo sem a quantia de provas suficientes e citou a arbitrariedade em terem o mantido preso no Presídio Federal de Segurança Máxima, onde teve a cabeça raspada. O advogado de Servo, Eldes Rodrigues, consegui transferir Servo para a Polícia Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele
CRUELDADE
Idosa de 106 anos é assassinada a pauladas no Maranhão
NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)