Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 16 de outubro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Senador chama deputado que quer proibir MMA de irresponsável

9 Set 2013 - 14h08Por Capital News

Após a divulgação do projeto de lei do deputado federal José Mentor (PT-SP), que visa proibir as transmissões dos eventos de Artes Marciais ou Esportes de Combate não olímpicos nas tvs abertas brasileiras, um sinal amarelo foi aceso no esporte que mais cresce no mundo após o deputado chamá-los de "rinhas de galo humanas" devido a violência. 

Afirmando que "violência são políticos viverem bêbados publicamente nas esquinas e as novelas", o senador Magno Malta defendeu a exibição dos eventos e atacou o deputado José Mentor e sua "iniciativa irresponsável, indecente, desnecessária, com falta de fundamento, conhecimento e sensibilidade", durante o primeiro congresso brasileiro de MMA, realizado na última sexta-feira (06) no Rio de Janeiro.

Como exemplo para defender os esportes de combate não olímpicos e as artes marciais, o senador citou o triste momento para o mundo do esporte, onde Ayrton Senna sofreu um acidente fatal e faleceu momentos depois, no grande prêmio de San Marino, transmitido ao vivo pela Rede Globo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NO JORNALISMO
Morre Gil Gomes, jornalista policial, aos 78 anos, em São Paulo
SELEÇÃO BRASILEIRA
Brasil vence a Argentina com gol de Miranda nos acréscimos e conquista o Superclássico
HORARIO DE VERÃO
Início do horário de verão não será adiado, informa o Planalto
IBOPE PARA PRESIDENTE
Ibope para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
ASSASSINATO
Rapaz agride avós de adolescente que não quis namorar com ele; avó morreu
TRAGEDIA NA RODOVIA
Carro ocupado por sete pessoas se envolve em acidente; cinco morreram
REVOLTANTE
Menina de 11 anos é estuprada por detento ao visitar irmão em presídio
ACIDENTE FATAL
Douradense morre em acidente no RS
REALITY SHOW
A Fazenda 10: Ana Paula é eliminada e se manifesta contra Bolsonaro
FACÇÃO CRIMINOSA
Decapitada por Satã do PCC, jovem morreu por exigir respeito após roubo de chinelo