Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 21 de abril de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Semy pretende debater, na AL, abuso do poder econômico

20 Out 2004 - 17h09

"O abuso do poder econômico pôde ser constatado nas eleições municipais deste ano tanto em Mato Grosso do Sul como nos demais Estados brasileiros. Portanto, a reforma política precisa entrar urgentemente na pauta do Congresso Nacional”, afirmou o deputado estadual Semy Ferraz (PT). Ele disse que pretende batalhar pela união da classe política e da sociedade em um movimento para pressionar o Congresso a reformar o sistema político e impedir o abuso do poder econômico nas eleições. “Para abrir o debate contra essa situação insustentável e apresentar sugestões à reforma política, vou propor uma audiência pública na Assembléia Legislativa, em data a ser definida para breve”, afirmou.

Para o deputado, mais uma vez, ficou evidente nas eleições deste ano a influência do poderio financeiro de determinadas candidaturas no resultado das urnas. "Diversas formas de compra de voto foram constatadas, como pagamento de contas de luz e água de eleitores, doação de alimentos e até contratações de donos de bares e de cabeleireiros, formadores de opinião entre o eleitorado", exemplificou. Candidato à prefeitura de Paranaíba nas últimas eleições, ele disse ter sofrido diretamente o problema, sendo que chegou a denunciar à Justiça Eleitoral o abuso de poder econômico por parte do candidato eleito Manoel Ovídio (PL). Entretanto, o juiz da 13ª Zona Eleitoral entendeu que, apesar das provas, houve apenas "uso" e não "abuso" econômico.

O recurso contra a decisão, preparado pela assessoria jurídica de Semy ainda quando candidato, está tramitando no Tribunal Regional Eleitoral do Estado e, conforme o resultado, pode resultar na cassação de Ovídio. Para o deputado, é urgente a necessidade da Reforma Política, já que nem mesmo a Justiça Eleitoral dispõe de mecanismos para coibir a compra indiscriminada de votos, que acontece através de inúmeras formas de "driblar" a legislação. Exemplo claro disso, conforme ele, é a contratação de dezenas ou centenas de cabos eleitorais em véspera de eleição, fato que dificilmente pode ser impedido pela Justiça, pois ser entendido como contratação temporária de funcionários e não como compra de votos.

 

 

Assembléia Legislativa

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Confira agora os 5 passeios mais românticos de Bonito (MS)
EM ÁUDIO VAZADO
Em áudio, Onyx diz que governo deu 'uma trava na Petrobras', caminhoneiros podem ficar sossegados
EMOÇÃO E RECOMEÇO
Mãe e filho se reencontram em hospital após desabamento de prédios
ACIDENTE FATAL
Três morrem em explosão provocada por vazamento de botijão de gás
NOVA PARALISAÇÃO
Ala dividida de caminhoneiros falam em greve no próximo dia 29 em todo o Brasil
CAMPO BELO RESORT - PARAÍSO É AQUI
Com noite Árabe e Italiana, PACOTE do dia 03 a 05 de maio já disponível para o Campo Belo Resort
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
Menino de 12 anos foge de casa, burla esquema de segurança e embarca em avião
DEU RUIM
Vítima reage e mata assaltante que tentava roubar camioneta em Toledo – ASSISTA VÍDEO
PAI MONSTRO
Pai é preso suspeito de estuprar e engravidar a filha de 11 anos
15 METROS DE ALTURA
MILAGRE – Menina de um ano que caiu do 4º andar de prédio não sofreu nenhuma fratura