TASS_MOTORS
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 18 de Dezembro de 2017
DELPHOS_FULL
RIO_DOURADOS
7 de Dezembro de 2004 07h23

Safra já preocupa o produtor

A classe produtora do MS está preocupada com safra 2004/2005, e as expectativas não são tão boas para mercado do complexo soja e para o ganho dos produtores rurais. Ao que tudo indica, o agricultor sul-mato-grossense está trabalhando “apertado” mais uma vez. Mas, ao contrário da safra de verão do ano passado, não é a estiagem que está trazendo prejuízos, e sim a queda do preço da soja brasileira e o aumento dos preços dos insumos agrícolas e maquinários.
Cerca de 90% da safra de soja em Mato Grosso do Sul já foi plantada, mas os produtores investiram menos no plantio, conforme explica o vice-presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Brasil) e presidente da Comissão de Agricultura da entidade, Ari Basso. “A safra em produção vai ser boa, mas não teremos preços altos”, comenta, o vice-presidente.
A supersafra norte-americana não é a única razão dos preços da soja terem abaixado. “O boicote chinês e a boa colheita no país acabaram desvalorizando o produto no Brasil”, explica a consultora da Funar (Fundação Educacional para o Desenvolvimento Rural), Adriana Mascarenhas.
Conforme os dados levantados pela economista, o valor da soja hoje varia entre R$ 29 a R$ 31. No mesmo período do ano passado, a saca estava cotada em R$ 44, uma diferença que chega a 34%. Somado a isso, os insumos (sementes, defensivos, corretivos, fertilizantes) em Mato Grosso do Sul aumentaram em 54%. Os fertilizantes e sementes foram responsáveis pelo alto custo de produção de soja, tendo um aumento no valor de 32% e 25%, respectivamente.
Para Basso, a solução é que o produtor tenha uma alta produtividade para compensar o baixo preço da saca de soja hoje. Se o quadro se manter, a safra de inverno também pode estar comprometida.
Em Dourados, 95% da área para a safra de verão já foi plantada. O presidente do Sindicato Rural do município, Gino José Ferreira, avisa que o quadro é desesperador. “Esse ano os produtores já investiram menos que no ano passado e isso deve se refletir na produtividade”, explica.
Ele diz que para se plantar um hectare de soja o custo é de 40 a 45 sacas do produto. “Hoje, se você colhe bem garante no máximo 50 sacas por hectare”, afirma Gino, “acaba sendo um investimento de alto risco”, completa.
Segundo Gino, o produtor precisa de crédito.
INVERNO
Se a previsão se confirmar, a safrinha fica comprometida. O produtor descapitalizado vai investir menos tanto em insumos e maquinários quanto em área plantada. “A produção do trigo e do milho safrinha tendem a diminuir”, afirma o vice-presidente da Famasul.
Para o presidente da Famasul, Léo Brito, o produtor vai “dançar conforme a música”. Segundo ele, é preciso reduzir os custos para que o agricultor tenha algum ganho e garanta a sua sobrevivência no campo.
 
 
Diário MS
Comentários
Veja Também
FORTALEZA
LISTINHA_ONLINE
FARMÁCIA_CENTROFARMA_300
Últimas Notícias
  
Nossa_Lojas
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.