Menu
SADER_FULL
domingo, 18 de agosto de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Robert Scheidt comemora medalha de ouro em Atenas

23 Ago 2004 - 07h12
Robert Scheidt, 31, tornou-se neste domingo o maior atleta olímpico do Brasil em todos os tempos, ultrapassando o mítico Adhemar Ferreira da Silva. O iatista conquistou a medalha de ouro na classe laser nos Jogos Olímpicos de Atenas, a 13ª na história do país em Olimpíadas, e alcançou o lugar mais alto do pódio pela segunda vez na carreira --foi campeão também em Atlanta-1996.

Somando as duas conquistas à medalha de prata em Sydney-2000, Scheidt passa à frente de Adhemar, que até hoje era o único bicampeão olímpico do país, com os ouros no salto triplo nos Jogos de Helsinque-1952 e Melbourne-1956.

Franco favorito e maior vencedor da história da classe laser da vela, o brasileiro, heptacampeão mundial, chegou à regata final com nove pontos de vantagem na liderança e em situação bastante confortável --um nono lugar já o daria a conquista, independentemente dos resultados de outros competidores.

Com ventos fracos, a regata final, que estava marcada para as 7h (horário de Brasília) deste domingo, começou com 1h30 de atraso. Logo depois do início, foi suspensa. O horário limite para reinício era 9h55 (de Brasília, 15h55 local). Dez minutos antes de o prazo expirar, a prova recomeçou --se fosse cancelada, Scheidt seria campeão automaticamente.

A organização autorizou o início da prova com um vento de oito nós, dois a menos que o mínimo exigido.

Na água, o brasileiro esteve sempre à frente de seus principais concorrentes diretos, o austríaco Andreas Geritzer (prata) e o esloveno Vasilij Zbogar (bronze). Terminou em sexto lugar, como o austríaco em décimo e o esloveno em 13º. Na classificação final, Scheidt teve 55 pontos perdidos, contra 68 do segundo colocado e 76 do terceiro.

Scheidt conquistou o título pela regularidade. Ele venceu apenas a terceira regata e conseguiu três terceiros, um quarto, um sexto (neste domingo), um sétimo, dois oitavos, um 12º e um 19º lugares, este último descartado.

O resultado, além de redimir o atleta da perda do ouro em Sydney, quando chegou à ultima regata na liderança e foi superado pelo inglês Ben Ainslie, manteve Scheidt invicto em 2004.

O atleta disputou até aqui dez campeonatos e foi campeão em todos, incluindo o Mundial de Bodrum (Turquia), o sétimo em sua carreira --é o brasileiro com maior número de títulos mundiais entre todos os esportes.

Além de Scheidt, Torben Grael e Marcelo Ferreira, na classe star do iatismo, também podem conquistar o bicampeonato olímpico em Atenas. Grael, que além do ouro conquistado em Atlanta-96 ao lado de Ferreira possui também uma prata e dois bronzes (um com Ferreira), inclusive ultrapassaria Scheidt como o brasileiro mais vencedor da história.

Os jogadores Giovane e Maurício, da seleção de vôlei, também já têm um título olímpico na carreira e podem conquistar em Atenas o segundo ouro.

Sandra, que faz dupla com Ana Paula no vôlei de praia, foi eliminada neste domingo no confronto brasileiro com Adriana Behar e Shelda e perdeu a chance de ser a primeira mulher brasileira bicampeã --foi ouro em Atlanta com Jacqueline.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

SIAMESAS
Mulher dá à luz gêmeas siamesas de 3,700KG as duas
ACIDENTE DE TRABALHO
Homem morre ao ser puxado por colheitadeira quando fazia limpeza
TENTATIVA DE HOMICIDIO
Cansada de apanhar mulher desfere golpes de faca em companheiro
POLICIAIS CORRUPTOS
PMs são denunciados por ligação com tráfico; bandidos fizeram foto em caveirão
NOVELA GLOBAL
Camilo descobre segredo de Chiclete e Vivi em 'A dona do pedaço'
LIBERADO
PIS/Pasep para nascidos em agosto já está liberado
ALUCIENÓGENO
Video: Vovó fica doidona ao provar acidentalmente maconha do neto
TARADO AGIU NA IGREJA
Homem é preso após abusar de criança de 4 anos dentro de igreja
CRUELDADE
Adolescente que estava desaparecido foi brutalmente assassinado e queimado
TRAGÉDIA ABSURDA
Homem mata mulher e filha de 11 anos e se mata por não aceitar fim da relacionamento