Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Rio Brilhante realiza campanha contra venda de bebida a menores

27 Out 2010 - 15h29Por TJ / MS

Em parceria com o Banco do Brasil, a Vara Criminal da Comarca de Rio Brilhante realiza campanha para conscientizar os comerciantes a não vender bebida alcoólica aos menores de idade.

O juiz titular da Vara Criminal, Jorge Tadashi Kuramoto, informa que os cartazes serão afixados em todas as localidades em que há venda de bebida alcoólica: bares, restaurantes, supermercados, postos de combustíveis, entre outros. Em todas as festas em que houver bebidas, também será afixado o cartaz, que foi confeccionado com patrocínio do Banco do Brasil.

O magistrado editou a Portaria nº 39/2010, que regulamenta a presença de menores em lan houses, disciplina a participação de menores em festas e prevê sanções com base no Estatuto da Criança e do Adolescente. O Conselho Tutelar fará a fiscalização nos estabelecimentos quanto ao cumprimento da norma e a afixação dos cartazes.

A intenção da campanha é evitar um mal que tem sido uma constante na cidade de Rio Brilhante:  menores de idade que dirigem alcoolizados e provocam acidentes de trânsito. “Em Rio Brilhante é comum vermos menores bebendo em praças, em bares e festas. Portanto, esse trabalho busca conscientizar o comércio em geral, em relação às consequências para quem vende bebidas a esses menores”.

O Estatuto - A Lei Federal nº 8069, conhecida como Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), proíbe a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.

O artigo 81 da referida lei também proíbe a venda de diversos produtos a crianças e adolescentes, como: armas; munições; explosivos; produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, ainda que por utilização indevida; fogos de artifício, exceto aqueles de reduzido potencial, incapaz de provocar dano físico; revistas e publicações com conteúdo impróprio e bilhetes lotéricos.

O artigo 243 do ECA estipula como pena a quem vende ou fornece produtos que possam causar dependência física ou psíquica a menores, detenção de dois a quatro anos e multa, se o fato não constitui crime mais grave.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico