Menu
SADER_FULL
segunda, 22 de abril de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Richarlyson diz não ser homossexual e reclama de duplo preconceito

13 Ago 2007 - 10h39

O jogador Richarlyson, do São Paulo, afirmou neste domingo, em entrevista ao "Fantástico", da Rede Globo, que não é homossexual. O meio-campista, que busca colocar fim aos boatos sobre sua sexualidade, reclamou do preconceito que tem sofrido e disse que, pela segunda vez, é vítima de discriminação.

Ao ser perguntado se é homossexual, o atleta respondeu que "não" e afirmou que, se fosse, assumiria. "Com certeza, eu não teria problema nenhum até porque a minha família é uma base maravilhosa, extraordinária e acho que isso não seria obstáculo para eles e eu seguiria minha vida normalmente", afirmou o jogador, que disse ter sofrido preconceito na infância, por ser negro.

"Já tive um certo racismo quando era criança, quando estudava em uma escola de freiras e eu era o único negro da escola. E tudo o que acontecia na escola caía sobre mim", lembrou Richarlyson, que disse ter ficado chateado com a sentença do juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho, que classificou o futebol como um jogo "varonil, não homossexual".

"É difícil eu entrar nessa questão porque não sou formado em Direito, mas não foi só um desrespeito a mim, foi um desrespeito ao Brasil. Nada a ver [a sexualidade do jogador], o importante é fazer o trabalho dentro de campo bem feito", afirmou o são-paulino, que disse ter planos de casar e constituir família "depois que terminar a faculdade de Educação Física e construir uma base sólida na carreira".

Richarlyson decidiu ir à Justiça depois que o diretor administrativo do Palmeiras, José Cyrillo Jr., citar o seu nome ao responder a uma pergunta sobre homossexualidade no futebol. A polêmica começou em junho, no programa "Debate Bola", da TV Record. Indagado sobre a possibilidade de haver um atleta homossexual no elenco palmeirense disposto a assumir publicamente sua opção, Cyrillo começou a responder dizendo: "O Richarlyson quase foi do Palmeiras".

A pergunta surgiu depois que a coluna Zapping, do jornal Agora São Paulo e da Folha Online, informou, sem citar nomes, que um jogador de um grande clube paulistano estava em negociação com a TV Globo para assumir a homossexualidade.

No último dia 3 de agosto, o juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho, da 9ª Vara Criminal de São Paulo, arquivou a queixa-crime apresentada pelo volante são-paulino. No documento em que relacionou os motivos para o arquivamento do caso, Junqueira Filho classificou o futebol como "jogo viril, varonil, não homossexual" e sugeriu que um atleta gay devia abandonar a carreira ou montar um novo time e criar uma federação própria para continuar atuando. A seguir, ele afirma: "Não que um homossexual não possa jogar bola. Pois que jogue, querendo. Mas forme seu time e inicie uma Federação".

Em seguida, os advogados de Richarlyson entraram com uma reclamação disciplinar no CNJ (Conselho Nacional de Justiça). O relator da reclamação e corregedor nacional de justiça, Cesar Asfor Rocha, já enviou um ofício ao magistrado solicitando informações. Junqueira Filho tem 15 dias para responder.

 

 

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOENÇA DO SÉCULO
Yasmim Gabrielle, do ‘Programa Raul Gil’, se suicida após depressão
FATALIDADE
Bebê morre após ser esquecida pelo pai por três horas dentro do carro
IRRESPONSABILIDADE
Bebê de 1 aninho entra em coma alcoólico após pai dar cachaça com refrigerante
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Confira agora os 5 passeios mais românticos de Bonito (MS)
EM ÁUDIO VAZADO
Em áudio, Onyx diz que governo deu 'uma trava na Petrobras', caminhoneiros podem ficar sossegados
EMOÇÃO E RECOMEÇO
Mãe e filho se reencontram em hospital após desabamento de prédios
ACIDENTE FATAL
Três morrem em explosão provocada por vazamento de botijão de gás
NOVA PARALISAÇÃO
Ala dividida de caminhoneiros falam em greve no próximo dia 29 em todo o Brasil
CAMPO BELO RESORT - PARAÍSO É AQUI
Com noite Árabe e Italiana, PACOTE do dia 03 a 05 de maio já disponível para o Campo Belo Resort
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
Menino de 12 anos foge de casa, burla esquema de segurança e embarca em avião