MEGA_OKA_CARROS_
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 17 de Outubro de 2017
DELPHOS_FULL
16 de Dezembro de 2004 14h00

Renovação de acordo garante ao Brasil US$ 1,4 bilhão

O Fundo Monetário Internacional (FMI) completou a nona revisão do acordo renovado em dezembro do ano passado. Fechado originalmente em 2002, o acordo envolve US$ 42 bilhões, sendo que aproximadamente US$ 15 bilhões foram negociados no final de 2003. Com a aprovação do acordo que expira em 31 de março de 2005, o Brasil passou a ter direito a uma nova parcela, de US$ 1,4 bilhão.

A aprovação da nona revisão se deu na noite de ontem (15) em Washington (EUA), durante reunião da direção do Fundo. Segundo comunicado veiculado através da página da instituição na internet, o diretor-gerente do FMI, Rodrigo Rato, considerou que a performance do Brasil conforme o acordo stand-by continua forte. Rato também acredita que a recuperação de bases amplas continua, com o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) excedendo 6% nos últimos quatro trimestres e todos os setores econômicos mantêm a expansão. A íntegra do comunicado pode ser lido no seguinte endereço: www.imf.org .

Assim que a revisão foi aprovada, o Ministério da Fazenda divulgou comunicado assinado pelo ministro Antonio Palocci e pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Segundo as duas autoridades, o Brasil está colhendo os frutos de manter uma política econômica sólida. A recuperação tem sido equilibrada e abrangente, segundo eles, com o PIB crescendo mais de 6% nos últimos quatro trimestres, e o investimento crescendo 20% no mesmo período.

Eles lembram, entre outras coisas, que o crescimento anual do PIB em 2003 foi revisado elevando-se a projeção para 0,5%. Mais importante ainda, a recuperação econômica vem sendo refletida em um aumento persistente do emprego, com a geração de 1,8 milhões novos postos de trabalho no setor formal desde janeiro último.

"O desempenho fiscal permanece forte, tendo a meta de superávit primário sido aumentada para 4,50% do PIB para 2004, poupando-se parte do excesso de receitas sobre o esperado e reforçando nosso compromisso de reduzir a dívida pública. A meta fiscal para 2005 permanece inalterada em 4,25% do PIB", diz o comunicado.

Sobre a inflação, o governo reafirma os esforços para reduzi-la para os parâmetros estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional, de 4,5% podendo variar 2,5 pontos percentuais para cima ou para baixo.
 
 
Agência Brasil
Comentários
Veja Também
FÁBRICA_CALÇADOS
BANNER_LATERAL_ASSOMASUL
LIMIT ACADEMIA_BOTTON
Últimas Notícias
  
BANNER_LATERAL_ASSOMASUL
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.