Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 24 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Recurso do FAT deve ser investido ainda este mês no Estado

7 Ago 2004 - 07h25
 

Deve começar a ser investido ainda este mês os R$ 300 milhões referentes ao FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste), que serão liberados hoje pelo FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) com destino a Mato Grosso do Sul, segundo o secretário executivo do Conselho Estadual do FCO, Jerônimo Chaves.

A verba total, a nível de Brasil, chega a R$ 1 bilhão e a Medida Provisória que autoriza a liberação deve ser assinada no fim do dia pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto. O evento contará com a presença do coordenador da bancada federal de Mato Grosso do Sul, Antonio Carlos Biffi e do secretário de fazenda, José Felício dos Santos, que irá representando o governador do Estado, Zeca do PT, que cumpre agenda de campanha no interior do Estado.

Em entrevista ao Programa Noticidade (97FM), o secretário explicou que os Fundos Constitucionais foram concebidos para melhorar o desenvolvimento regional, mas que ainda são insuficientes à expectativa dos empresários sul-mato-grossenses.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico