Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 17 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Recurso da ANTT sobre transporte de idosos segue ao MPF

30 Ago 2004 - 17h49
 

O presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), ministro Edson Vidigal, solicitou ao MPF (Ministério Público Federal) parecer sobre o processo que discute o cumprimento do Estatuto do Idoso pelas empresas de transporte. Somente após o posicionamento do MPF é que o ministro Vidigal decidirá sobre o caso.

Na semana passada, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) ingressou no STJ com pedido de suspensão da liminar que proíbe a fiscalização e punição das empresas de transporte que descumprem o Estatuto. A legislação prevê que pessoas com mais de 60 anos e com renda de até dois salários mínimos têm direito a duas vagas gratuitas e outros bilhetes com desconto nos ônibus interestaduais.

A liminar foi concedida à Abrati (Associação Brasileira das Empresas de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros). Para a Abrati, uma das falhas da lei está em não definir a fonte de recurso que subsidiará as vagas gratuitas nas linhas interestaduais.

Os assentos não podem ser vendidos até três horas antes da viagem, de acordo com a legislação. Os idosos também têm direito de comprar passagens nos transportes interestaduais por 50% do valor, desde que solicitem o benefício com até sete dias de antecedência. As empresas não filiadas à Abrati continuam sendo fiscalizadas e estão sujeitas a multas em caso de descumprimento desse dispositivo do Estatuto do Idoso.

Histórico

No dia 23 de julho de 2004, o juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal concedeu liminar à Abrati suspendendo a aplicação do Estatuto do Idoso a seus associados. Segundo a liminar, a ANTT estava impedida de punir as empresas de ônibus no que diz respeito ao cumprimento da reserva de vagas para idosos, que começou a valer em todo o país no dia 1º de agosto.

Em 5 de agosto, a ANTT conseguiu suspender essa liminar junto ao juiz Fagundes de Deus, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Essa decisão judicial, no entanto, foi anulada pelo juiz Jirair Aram Meguerian, do mesmo Tribunal, no último dia 25, que validou a liminar anteriormente concedida à Abrati. A ANTT, então, entrou com uma suspensão de segurança no STJ.

A ANTT continua impedida de fiscalizar as empresas associadas à Abrati a respeito do cumprimento do Estatuto do Idoso até que o Ministério Público apresente o parecer e o ministro Edson Vidigal possa decidir a questão.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
SUPERAÇÃO
Pedreiro cadeirante enfrenta difilculdades e sustenta a família trabalhando em obras
GASES MORTAIS
Homem morre após segurar peidos na casa da namorada
REALITY SHOW
'BBB 19': Danrley diz ser virgem, e irmã brinca: 'Nem no signo'