Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 16 de setembro de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Queda na produção de fécula de mandioca em MS

10 Jul 2004 - 09h22
Mato Grosso do Sul é o segundo maior produtor de mandioca do país, mas neste ano a expectativa de colheita ficou abaixo do esperado. A chuva e as pragas foram as principais causas na queda de produção. A cultura de mandioca no Estado tem produtividade acima da média nacional, com 20 toneladas por hectare. A média brasileira chega a quatorze toneladas.

Em Deodápolis, região sudeste do Estado – a colheita da mandioca foi prejudicada pela chuva este ano. O sol demorou a aparecer. O produtor rural, José Valdecir Moreira, disse que “há duas semanas atrás, uns quinze dias, nós tivemos muita chuva e isso atrapalhou demais a colheita. Não tem como trator e o caminhão saírem da roça carregados".

O surgimento de pragas também atrapalhou a colheita da raiz. Parte da lavoura - de 34 hectares - está perdida. O produtor explica que está totalmente seca, o que já deve ter afetado a raiz. "Nós acreditamos que seja a mosca branca, que ela trouxe e infectou as folhas, o ponteiro da rama e conseqüentemente a raiz", afirmou.

Mato Grosso do Sul é o segundo maior produtor de mandioca do país. São quase trinta mil hectares de área plantada. Este ano, a expectativa era a de colher 524 toneladas da raiz. Número que deve ficar abaixo do esperado.

Preço alto. Falta do produto no mercado. Queda na produção da indústria que transforma a mandioca em fécula: um tipo de amido.

A falta de mandioca no mercado está fazendo a produção das fecularias despencar. Na empresa visitada pela reportagem, a capacidade é a de processar 180 toneladas da raiz por dia. Mas, hoje - sem a matéria-prima suficiente - a produção caiu pela metade. De 46 toneladas por dia para 23 toneladas.

O gerente da empresa, Marcos Antônio Fernandes, disse que "faltou um pouco de matéria-prima, o preço alterou um pouco e criou uma expectativa de preços altos. Então, o que tem hoje é que tão segurando pra poder pegar um preço um pouco melhor".

A indústria ainda não calculou os prejuízos, mas sabe que foram altos. Isso por que as máquinas, que trabalham durante todo o dia, os doze meses do ano, chegaram a ficar paradas por cinco dias. Reflexo imediato no atacado: o valor da saca passou de 45 para 90 reais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber
ACIDENTE FATAL
Câmera de segurança registrou acidente fatal de enfermeira. VEJA O VÍDEO
MONSTRUOSIDADE
Homem que matou mãe e filha em Cascavel escreveu carta. Bebê tomou mamadeira “batizada”
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mulher e marido são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos que dormia na casa deles
SUPERSTIÇÃO
Primeira sexta-feira 13 do ano com noite de lua cheia pode ser perigosa, alerta taróloga
ESPORTE
Poderá o poker se tornar olímpico?