Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 26 de maio de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Puccinelli defende lei de pesca menos rígida em MS

5 Jun 2007 - 17h54
O governador André Puccinelli (PMDB) defendeu ontem uma nova lei estadual sobre a exploração da pesca em Mato Grosso do Sul em consonância com a legislação federal e que permita o desenvolvimento ambiental sustentável.
Ao participar de audiência pública na Assembléia Legislativa, o governador defendeu a liberação com limites de apetrechos proibidos pelo governo anterior, como anzol de galho e joão-bobo, instrumentos utilizados pelo pescador profissional proibidos por decreto do ex-governador Zeca do PT. Puccinelli ressaltou, no entanto, que a liberação deve ser limitada. Ele disse ser contra a liberação de espinhel.
André pregou o controle e monitoramento do estoque pesqueiro dos rios sul-mato-grossense, que seria feito em parceria com a Embrapa Pantanal. Segundo a pesquisadora da unidade, Emiko Rezende, o governo estadual teve o controle dos estoques pesqueiros do Estado entre 1994 e 2003.
O governador afirmou que existem muitas posições e extremos sobre o assunto, por isso, criou uma comissão para realizar audiências públicas, ouvir as partes envolvidas e apresentar uma diretriz para a política estadual de pesca.
Sobre o recadastramento de pescadores profissionais, que tiveram o número de carteiras reduzidas de 4,8 mil para 1,4 mil, André defendeu o cadastramento e o reconhecimento de todos os profissionais. Também defendeu que a lei estadual esteja em consonância com a lei federal. O Ibama reconhece a existência de 4,8 mil pescadores em Mato Grosso do Sul. Segundo Puccinelli, o objetivo é melhorar a qualidade de vida a todos os segmentos, inclusive, os pescadores profissionais.
O presidente da Assembléia Legislativa, Jerson Domingos (PMDB), criticou a forma atual de comercialização do pescado em Mato Grosso do Sul, principalmente, a pressão feita pelos frigoríficos sobre os pescadores profissionais. Também criticou a captura indiscriminada de iscas vivas, que quebra a cadeia alimentar do Pantanal. E citou o assoreamento dos rios como um das causas da redução do estoque pesqueiro no Estado.
Durante o pronunciamento na audiência pública realizada pela comissão criada pelo governador, Jerson disse que os frigoríficos praticam “escravidão” no Estado. As empresas pressionam os pescadores, que acabam se endividando e forçados a praticar a pesca predatória para pagar as contas.
Para combater esta prática, Jerson Domingos defendeu a criação de cooperativas para negociar o pescado capturado pelos profissionais a preço justo. “Para [o pescador] não ser refém do frigorífico”, justificou. Ele defendeu a taxação para venda do pescado capturado nos rios para outros Estados e a isenção para a venda do peixe criado em cativeiro.
 
 
 
 
Diário MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ILUSTRE
Em Bonito (MS), Miss Brasil Júlia Horta destaca 'A energia daqui é inexplicável'
COISA DE DOIDO
Sucuri ataca bombeiro durante resgate em SP; assista!
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Governo dobra vagas de concurso da PF e convocações saem no fim do ano
FEMINICIDIO
Mulher é morta com 75 facadas pelo ex-marido após 25 anos de casamento
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
'Peguei meu filho e achei que estivesse morto', diz mãe de criança dopada em creche
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira o que tá na promoção que vai até este sábado no O Boticário em Fátima do Sul
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Visite Bonito (MS) na baixa temporada, saiba o porquê!
FÁTIMA DO SUL - TRATAMENTO COACH
De Nova Andradina, Vanessa recupera autoestima com tratamento 'Coach' Célia Tenório de Fátima do Sul
CASA BOCA SUJA
morador instala placas com palavrões nos muros de casa
MACABRO
Mulher é encontrada morta ao lado de uma oferenda