Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 21 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

PTB vai exigir de volta os cargos de Picarelli e Magali

29 Mar 2007 - 13h00

O PTB vai à Justiça Eleitoral exigir de volta os cargos do deputado estadual Maurício Picarelli e de sua esposa, a vereadora de Campo Grande, Magali Picarelli. A decisão foi comunicada pelo presidente regional do partido, Antonio João Hugo Rodrigues, e tem por base a resposta do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que, consultado pelo PFL (atual Democratas), decidiu no fim da noite de anteontem que os mandatos pertencem aos partidos e não aos candidatos.

Assim, candidato que trocou de partido após as eleições poderá ter que devolver o cargo se as legendas pelas quais foram eleitos entrarem na Justiça requerendo as vagas.

Eleito pelo PTB, Picarelli mudou para o PMDB antes mesmo da posse na Assembléia Legislativa. Magali também se tornou peemedebistas. "O PTB quer o que é do partido por direito. Na verdade, o Picarelli e a Magali nunca foram petebistas", disse Antonio João, afirmando que o casal já fazia campanha para o então candidato a governador André Puccinelli (PMDB) antes mesmo de saírem do PTB. "Eles já estavam operando para o André ainda na campanha. Eles usaram a estrutura do PTB, os recursos do partido, material de campanha e trabalhavam para o André. Não sei por quantos dinheiros o Picarelli se vendeu para o André, mas esta decisão do TSE é o prêmio justo para quem é traíra", disse o presidente regional.

Caso Picarelli e Magali percam os mandatos, eles serão substituídos pelos suplentes Cabo Almi (PT) Jamal Salem (PTB), respectivamente.

A decisão do TSE também poderá atingir os deputados Márcio Fernandes e Professor Rinaldo. Os dois foram eleitos pelo PRTB e PTdoB, respectivamente, e iniciaram seus mandatos filiados ao PSDB.

O presidente do PRTB, Mirched Jaffar Júnior, não foi encontrado para falar sobre o assunto. Já o presidente regional do PTdoB, Morivaldo Firmino de Oliveira, adiantou que o partido não pretende pedir o mandato de Rinaldo de volta. "Não recebemos nenhuma orientação da direção nacional. Além disto, o Rinaldo é muito amigo do partido".

A decisão do TSE provocou polêmica na Assembléia Legislativa. "Eu concordo plenamente com o TSE. Muito deputado eleito como oposição inicia a legislatura como situação. Já que o Congresso não vota a reforma política, o TSE está fazendo isto", disse Pedro Kemp (PT).

Marquinhos Trad (PMDB) avalia que, se Picarelli ficar sem o cargo, o partido não vai sofrer com uma vaga a menos na Casa. "Quem perde não é o partido. Quem perde é o homem que pediu voto em uma legenda e depois muda de sigla".

Favorável à decisão do tribunal, o presidente da Assembléia, Jerson Domingos (PMDB), disse que a Casa só pode se manifestar quando o Judiciário determinar a devolução dos cargos.

 

 

Conjuntura Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÊMICA
Vale Tudo: projeto libera casamento entre mães e filhos e revolta MS
100 VERBAS
Emissão de CPF e restituição do IR podem ser suspensas pela Receita
100 PENA
'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
ACIDENTE TRÁGICO
Morte de três profissionais em acidente comove a cidade
100 TETO
Na busca por emprego, homem 'mora' em abrigo de papelão
PÂNICO NO ÔNIBUS
Atirador de Elite mata homem que fez reféns em ônibus
AGORA DEU MEDO
Velório é interrompido após morto 'apertar' mão da esposa
TRAGEDIA NA RODOVIA
Três pessoas morrem em acidente envolvendo carro e caminhão na BR-277
FATALIDADE
Jovem mulher morre ao levar choque usando o secador de cabelos
ABSURDO - BRASIL
Mulher mata o marido a facadas e leva pênis para a amante dentro de um copo