Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 17 de julho de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

PT trabalha nome de Egon para enfrentar grupo de André

3 Abr 2007 - 04h50

O PT começou a traçar estratégias para eleger o sucessor do prefeito de Dourados, Laerte Tetila, e um dos nomes em evidência é o do ex-vice-governador de Mato Grosso do Sul, Egon Krakhecke, um dos expoentes mais respeitados do partido e um dos poucos a deixar o governo sem comprometer sua imagem.

O partido dispõe de outras alternativas para concorrer ao cargo em 2008, como o ex-deputado federal João Grandão, hoje assessor especial do prefeito, e o secretário de Governo, Wilson Biasoto.

Na prática, os petistas querem continuar à frente do segundo maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul, reduto invejado pelo grupo político capitaneado pelo governador André Puccinelli (PMDB) e pelo vice-governador Murilo Zauith (DEM).

O deputado federal Vander Loubet defendeu hoje de manhã, durante entrevista à FM Capital, a participação do PT nas eleições do ano que vem em várias cidades, apontando como opção em Dourados o nome de Egon. Em Corumbá,  ele disse torcer pela reeleição do prefeito Ruiter Cunha.

Egon disputou o Senado no ano passado e obteve 456.363 votos (39,96%), ficando em segundo lugar, perdendo apenas para a tucana Marisa Serrano, que conquistou a vaga deixada por Juvêncio César da Fonseca (PSDB), com 607.584 53,20 (53,205). 

"O Egon saiu fortalecido da candidatura de senador", justificou Vander, referindo-se ao seu companheiro de partido.

Vander também quer ver o Partido dos Trabalhadores brigando pela prefeitura de Campo Grande, lembrando como opção o senador Delcídio do Amaral, derrotado por  André Puccinelli (PMDB) na disputa pelo governo do Estado em 2006.

"O senador Delcídio vai ser nosso candidato. É o nome que nos temos", afirmou, lembrando que o senador declarou publicamente o desejo de disputar a prefeitura. "Só não pode lá na frente recuar. "É ruim para o partido", avisou.

O ideal, segundo ele, é que o candidato do PT a prefeito de Campo Grande seja competitivo, não entre na eleição com 4% ou 5% das intenções de voto.

Ele lembrou que no caso de Delcídio, ele chegou a atingir 40% dos votos na disputa passada para o governo do Estado.

No restante dos municípios, Vander diz que tem de ser analisado caso a caso e partir para as alianças. "Onde o partido não tiver força fazer as alianças necessárias", defendeu.

Atividades – Vander informou que o ex-governador Zeca do PT deverá retomar as atividades políticas depois da Páscoa, após três meses longe dos holofotes da imprensa.

O deputado disse lamentar a preferência de Zeca por uma atividade na iniciativa privada (vai atuar como consultor das áreas de etanol e biodiesel em parceria com o ex-deputado José Dirceu), recusando convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assumir um cargo na esfera federal.

 

Conjuntura Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
'A dona do pedaço': Maria da Paz conhece Gilda, que lhe vende mansão cara
ECLIPSE LUNAR
Eclipse parcial da Lua poderá ser visto em todo o Brasil; veja os horários
BARBÁRIE
Moça de 22 anos é agredida até a morte após se negar a fazer sexo
COMOÇÃO
Jovem Lenara, filha de vice prefeito morre vitima de câncer
100 REMEDIOS
Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios;veja aqui a lista dos medicamentos cortados
ABANDONADA NO ALTAR
Morre jovem que casou sozinha após ser abandonada no altar
TRAGEDIA NA RODOVIA
Morte trágica de três pessoas na PR-082, comove população
BRIGA DE FAMILIA
Pai desfere 15 golpes de facão em filho adolescente
VIOLENCIA DOMESTICA
Pai é morto a marteladas pelo filho um dia antes de aniversário
NÃO QUER QUE ELE USE
Mãe apaga narguilé do filho adolescente e leva chinelada