Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 18 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

PT e PMDB divergem sobre coligação em Campo Grande

26 Mai 2007 - 11h10
 

Resta ainda um ano para as convenções partidárias e definição das coligações das eleições municipais de 2008. Mas os ensaios das prováveis alianças e rompimentos já começaram. Até o momento, a aliança mais esdrúxula vislumbrada no horizonte – o PMDB do prefeito Nelsinho Trad e o PT da ex-primeira-dama Gilda Gomes dos Santos – não passa de ficção.

Mas, uma frase do deputado Akira Otsubo (PMDB), que mesmo não tendo base eleitoral na Capital, também opinou, diz muito. “Em política tudo é possível”.

De modo geral, o PT parece mais resistente à idéia, sobretudo depois da primeira pesquisa de intenções de voto (Televox/Midiamax) divulgada no dia 5 de maio (leia matéria relacionada abaixo), que indica empate técnico entre o senador Delcídio do Amaral (PT) e Nelsinho, na estimulada, em cenário com a senadora Marisa Serrano (PSDB) e Dagoberto Nogueira (PDT).

“Sou contra a coligação em Campo Grande; o PT estaria renunciando ao projeto de poder”, disse o deputado Pedro Kemp (PT). O parlamentar disse que essa coligação somente fortaleceria o PMDB – Kemp vê ainda mais longe - nas eleições de 2010.

Entretanto, enquanto o PMDB aparentemente não cogita jogar com outro a não ser Nelsinho Trad, e que, por sua vez, já deve ter garantido o apoio dos tucanos, o Partido dos Trabalhadores não equacionou ainda a questão. Delcídio, o petista melhor colocado na pesquisa espontânea, em segundo lugar, já declarou que pretende permanecer no Senado e vai tentar viabilizar a sua reeleição numa queda-de-braço com o ex-governador Zeca.

Para o prático governador André Puccinelli (PMDB), a hipótese terá de ser julgada com base em pesquisas, esse é conselho dele para o prefeito Nelsinho. Bastaria que houvesse aprovação popular.

O “boato” de que o PMDB estaria negociando com o PT aliança para o ano que vem foi negado pelo deputado federal Vander Loubet (PT). “Primeiro, não aconteceu nada na ida a Vila Vargas, para inauguração de obras na BR-163”, disse Vander. O parlamentar acompanhou o governador Puccinelli em Vila Vargas (distrito de Dourados) na segunda-feira (21). “Não houve conversa de Gilda [dos Santos] ser vice”, completou.

O deputado defende que o PT aguarde maior proximidade das eleições para decidir. “Devemos esperar o momento para ver o tamanho do PT, se houver chance de vencer não vai haver coligação”. Vander usou uma metáfora intrigante para rebater a coligação, segundo ele, a população não pode pôr os ovos num só lugar – governo do Estado e Prefeitura de Campo Grande.

Entretanto, o petista não nega que o PT possa dar “um gesto de aproximação” do PMDB para retribuir o apoio de André ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) vê uma possível coligação PT-PMDB com menos rigidez. Para ele, já que o regime é democrático e a legislação autoriza, por que não? Marquinhos disse que os responsáveis pela aproximação (não disse quem) “deixam de lado ataques pessoais e pensam na coletividade”.

Marquinhos também defende, como Puccinelli, o critério popular-eleitoral, “se eles tiverem o nome aprovado por instituto de pesquisa...”.

Diante da resistência dos petistas, que não querem ser coadjuvantes, Marquinhos desabafa: “é triste, é lamentável, eles pedem o apoio de todo mundo, mas na hora de apoiar não querem”.

“É ruim para os eleitores, é ruim para a democracia”, declarou o deputado Pedro Teruel (PT), que é postulante da candidatura petista. “Com chances reais de vencer, não podemos abdicar [de candidatura própria]”, lembrou também Kemp.

Enfim, se PT e PMDB se coligarem é pouco provável que encontrem rivais a altura, do contrário, PT ainda precisa convencer Delcídio ou “criar” outra liderança e o PMDB precisa administrar melhor insurreições dos atuais aliados.

 

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares