Menu
SADER_FULL
domingo, 18 de novembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

PSOL debate hoje congresso estadual e ação contra Coronel Ivan

7 Jul 2007 - 05h22
O diretório estadual do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) reúne-se neste final de semana em Campo Grande. Na pauta do encontro estão a organização do Congresso Estadual da sigla e a entrada de uma ação pedindo investigação sobre o envolvimento do deputado estadual Coronel Ivan no esquema dos caça-níqueis.
O presidente do partido no estado, o sindicalista Henrique Martini, afirma que existe um "pacto de silêncio e conivência de todos os deputados para com os fatos que mostram o Coronel Ivan como um dos cabeças do esquema montado em cima das máquinas caça-níqueis. Até os deputados do PT estão calados".
Picarelli não age e favorece a impunidade - Para Martini, o corregedor da Assembléia Legislativa, deputado Maurício Picarelli, está sendo negligente para com a questão por não convocar o Conselho de Ética para investigar o caso. "Como é possível que um corregedor faça ouvidos moucos, cumprindo papel de avestruz que enterra a cabeça para não ver a realidade, e deixe um fato tão grave passar em brancas nuvens? Temos um deputado estadual flagrado pela Polícia Federal, com escuta telefônica que o coloca como um dos cabeças e beneficiários do esquema de caça-níqueis. Um deputado que foi comandante da Polícia Militar, que ao menos teoricamente deve combater o crime. E Assembléia não faz nada? Sequer investiga? Ou estão todos comprometidos ou os deputados estão fazendo um verdadeiro escárnio para com a população deste estado".
Martini afirma que o partido estuda uma representação formal pedindo que a Corregedoria da Assembléia convoque o Conselho de Ética para investigar o caso. "Existe um profundo mal-estar na sociedade, que quer punição para os envolvidos. A sociedade está atenta e está vendo a conivência dos parlamentares. O Psol vai mostrar para sociedade sul-matogrossense quem é quem na Assembléia".
Segundo Martini, não se trata de uma ação "pessoal" contra o Coronel Ivan. "Estamos sendo coerentes com a política do Psol em nível nacional que é a de pedir a investigação e punição de todos os envolvidos em casos de corrupção, seja de que partido for. Por isso cobramos o afastamento do presidente do Senado, Renan Calheiros e também a investigação sobre o envolvimento do coronel Ivan com a jogatina. Se ele tem culpa no cartório deve ser punido".
Ato Público – O Psol está articulando junto com outros partidos e entidades da sociedade civil um ato público em Campo Grande para cobrar o afastamento do presidente do Senado, Renan Calheiros, e a investigação do Coronel Ivan na Assembléia Legislativa. "Vamos para as ruas, pois essa crise não é uma "crise do Senado". É uma crise da sociedade brasileira como um todo. Como cidadãos temos o direito e o dever de cobrar do parlamento e do Judiciário punições para os envolvidos. Estamos organizando um ato público em Campo Grande, para a próxima semana, e na medida do possível esse ato deve ser reproduzido em outras cidades do estado. Não é um ato do Psol. É a sociedade civil que deve cobrar a punição dos envolvidos e o combate à corrupção, seja em que partido ou governo que ela exista. Queremos não só Renan fora do Congresso Nacinal, mas todos os corruptos".
Congresso Estadual – Outro tema na reunião do diretório estadual do Psol é a organização do primeiro Congresso Estadual do partido no estado. "Após a realização do Congresso Nacional, que assentou as bases políticas e organizativas do partido em nível nacional, agora vamos organizar nosso congresso estadual onde vamos discutir a situação política, econômica e social de Mato Grosso do Sul e as propostas do Psol para o estado". Segundo Martini, MS é um estado "periférico e atrasado do ponto de vista econômico e a existência do latifúndio tem contribuído para esse atraso. Latifúndio é sinônimo de concentração de renda e pouca geração de empregos. O tal do agronegócio está mais interessado no dólar do que na triste realidade da pobreza e falta de perspectivas para a maioria da população. Soja e carne são para exportação e gerar lucros. Infelizmente o governo de Zeca do PT aprofundou essa situação. Agora corremos o risco de virarmos um estado de usineiros... Vamos debater isso tudo e tirarmos um programa do Psol para Mato Grosso do Sul, um programa democrático, popular e socialista, que foi rasgado pelo PT."
A reunião do diretório estadual do Psol-MS tem início às 9 horas deste sábado (7 de julho), na sede do Sindicato dos Ferroviários (Travessa Dr. Temístocles, 64, em frente da antiga Estação Ferroviária).
 
 
 
 
Fátima News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto