Menu
SADER_FULL
sábado, 16 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Projeto prevê correção imediata para erro de arbitragem

22 Jul 2004 - 15h06
O Projeto de Lei 3589/04, do deputado Roberto Pessoa (PL-CE), estabelece como direito do torcedor a gravação obrigatória das partidas ou provas oficiais das competições esportivas profissionais. O objetivo da proposta é prevenir erro de fato ou falha na aplicação de regra de jogo, com a verificação imediata do lance, feita pela própria arbitragem logo após sua marcação, para corrigir ou confirmar a decisão anterior.
Pelo projeto, que modifica a Lei 10671/03, a gravação, com autorização do árbitro, poderá ser reproduzida por equipamento audiovisual, instalado pela entidade responsável pela competição, para ser exibida aos torcedores.

Duas por partida
A solicitação de paralisação da competição para verificação do lance duvidoso, segundo o texto, fica limitada a duas vezes por partida. Deverá ser feita pelo capitão da equipe nas modalidades coletivas ou pelo próprio atleta nas modalidades individuais. A repetição do lance, porém, só poderá envolver ocorrências que afetem o resultado da partida ou da prova.
A paralisação terá duração máxima de cinco minutos, e será julgada pelo juiz, árbitro auxiliar e bandeirinhas. Não sendo solucionado nesse tempo previsto, o lance será considerado válido.

Equívocos freqüentes
Em defesa de sua proposta, o autor argumenta serem freqüentes os equívocos por parte de arbitragens desportivas, fruto da própria falibilidade humana, mas com visíveis e diretas repercussões nos resultados. “Não raro comprometendo a imparcialidade exigida da arbitragem", ressalta.
Roberto Pessoa explica que o mecanismo de verificação proposto é semelhante ao já existente no futebol americano, está em estrita harmonia com os princípios da publicidade e da transparência garantidas ao torcedor, e dará um "choque de credibilidade" nos resultados das partidas ou provas. "Não são raros os casos de violência de torcidas por inconformidade com as decisões da equipe de arbitragem, gerando tumultos e invasão de campo, quadra, piscina ou pista", afirma.

Erros famosos
O parlamentar cita vários erros famosos de arbitragem ocorridos em importantes competições esportivas oficiais, como a Copa do Mundo de Futebol, muitos deles admitidos pela Fifa. "Mesmo reconhecendo que os juízes são humanos e falíveis, sucederam-se enganos de grandes proporções, que preocuparam os dirigentes da entidade e que, se revistos no momento, poderiam ter mudado o resultado da competição", observa o deputado.
A Itália e a Espanha reclamam até hoje de erros dos juízes nos jogos em que foram eliminadas da Copa de 2002. Nas oitavas-de-final, os italianos tiveram um gol invalidado de forma discutível e seu principal jogador, Francesco Totti, foi expulso de campo em uma jogada polêmica. Nas quartas-de-final, o juiz anulou dois gols feitos pelos espanhóis contra a equipe sul-coreana.
O erro mais famoso até hoje, porém, foi mesmo o gol que Maradona fez com a mão contra a Inglaterra na Copa de 1986. "O juiz não percebeu a deslealdade e validou o gol, que acabou desclassificando a Inglaterra. Depois do jogo, Maradona foi cínico ao se referir ao recurso antiesportivo. Ele disse que fez o gol com a cabeça e com a mão de Deus", lembra o deputado.
 
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário
HORARIO DE VERÃO
Atrase seu relógio! Horário de verão termina neste sábado(16)
CARCERE PRIVADO
Mulher é chicoteada com fio elétrico pelo marido
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Lutador de MMA mata ex de 16 anos, tenta suicídio e morre horas depois em hospital
VIOLENCIA NO RIO
Menina de 11 anos é baleada e morta em Triagem; moradores protestam
DOENÇA GRAVE
Leiliane ganha acompanhamento médico após desastre com Boechat