Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 22 de março de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Projeto da reforma universitária deve sair em 30 dias

27 Ago 2004 - 11h22
O Ministério da Educação deve apresentar, em 30 dias, o projeto da Lei Orgânica de Reforma do Ensino Superior para discussão com a sociedade. “Isto não vai ser o término, mas a abertura de um processo de reformas que exigirá, depois, atos normativos, decretos, regulamentos e estatutos”, afirmou nesta quinta-feira (26) o ministro da Educação, Tarso Genro.

O ministro reconheceu que alguns pontos devem ser revistos, como a liberalização que permite que os centros universitários multipliquem cursos sem autorização do MEC. Tarso Genro esteve em São Paulo a convite da Faculdade Trevisan, onde falou sobre os rumos da educação no país para mantenedores e diretores dos principais colégios e sistemas de ensino da capital.

Tarso revelou que a equipe do ministério está estudando como viabilizar, já para o próximo vestibular, isenção de taxa de inscrição para os egressos de escolas públicas. Sobre a polêmica envolvendo a troca de impostos por vagas proposta pelo projeto Universidade para Todos – ProUni, em tramitação no Congresso, o ministro esclareceu que em 90% dos casos isso não ocorre. “O não pagamento de impostos por estas instituições é uma isenção constitucional, não é dado pelo ProUNi. Estamos transformando uma isenção constitucional que já existe em uma gratuidade concreta, através de vagas”, esclareceu o ministro.

O Projeto Fundeb (Fundo de Financiamento à Educação Básica no Brasil) foi apontado pelo ministro como “aquele que dá uma virada revolucionária na educação” pois retoma a vinculação dos recursos da educação (25% ao ano de maneira ponderada) e ataca “o grande funil da educação pública no Brasil”, que é o ensino médio. “O ensino médio está atormentando de maneira dramática os governadores em todas as regiões e o governo federal tem que ser solidário na resolução desta questão, pois isto não é uma questão dos estados, é uma questão nacional”, afirmou.

O ministro também enfatizou que a educação não pode ser objeto de mercado. “Há, sim, um mercado educacional, mas tem que estar regulado para a preservação do interesse público, senão teremos uma reprodução irresponsável de cursos”.
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

JARDIM - MS - TRILHA SUBMERSA
Chuvas mais uma vez deixa a Trilha do Recanto Ecológico Rio da Prata submersa, ASSISTA
CRIATIVIDADE
Mulher consegue emprego após 5 horas no semáforo com cartaz
BONITO - MS - PACOTE DE PÁSCOA
Que tal curtir o feriado de Páscoa em Bonito MS?, confira o pacote especial do Águas de Bonito
TERROR NA ESCOLA
Homem é morto a tiros enquanto buscava filho na escola
TARADÃO
‘Peladão’ aterroriza mulheres em bairro nobre
MUNDO MEDONHO
Apaixonada pelo genro, sogra rouba nudes dele no celular da filha
QUEIMOU
Mulher queima partes íntimas do marido ao descobrir que ele abusava da filha – Veja VÍDEO
ASSALTANTES
Ônibus de turismo é parado a tiros por ladrões. Motorista foi baleado
SOFRE BULLYING
Estudante posta foto com pistolas e ameaça invadir escola
DROGAS
Mulher morre após cinco horas de sexo sem interrupção