Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 15 de setembro de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Projeto Crescendo em Família atende mais de 5 mil famílias

8 Jul 2004 - 15h09
O projeto Crescendo em Família, desenvolvido pelo governo do Estado através da Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência Social e Economia Solidária (Setass) atende 5.158 famílias em 22 municípios no Estado . Atualmente, possui 343 multiplicadores capacitados e 48 técnicos do município de Campo Grande que vão multiplicar a capacitação para 970 agentes jovens, além de trabalhos realizados em rádios que veiculam ações do projeto nos municípios.

O objetivo principal é promover as competências familiares e das redes municipais e estaduais para o desenvolvimento infantil, combatendo a mortalidade e outros problemas que afetam gravemente as crianças e comprometem o Índice de Desenvolvimento Infantil.

O Caderno da Família, material de orientação distribuído às famílias – Cuidando e Protegendo a Criança – é direcionado às famílias com crianças de 0 a 6 anos e contém informações muito importantes para o desenvolvimento das crianças.

O projeto trabalha as competências familiares, que são conhecimentos, comportamentos, práticas e habilidades que independem da condição sócio-econômica e buscam promover a sobrevivência, o desenvolvimento e participação das crianças, contribuindo, assim, na sensibilização dos gestores públicos e núcleos familiares de Mato Grosso do Sul de que os primeiros anos de vida são fundamentais para a criança.

As famílias com crianças de 0 a 6 anos devem ser fortalecidas para exercer todos os estímulos e cuidados necessários, tais como: carinho, amor (desde a gestação), acompanhamento do pré-natal, amamentação, vacinação, alimentação, educação, prevenção de acidentes domésticos e de todas as formas de violência.

O projeto também trabalha com as competências municipais que são o direito da criança de ter acesso à saúde, educação, lazer, visando a redução da desnutrição, doenças e eliminação do sub-registro.


Parceiros

O Projeto Crescendo em Família é realizado pelo governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Unicef e Universidade Católica Dom Bosco, com recursos do Programa Criança Esperança. É articulado pela Setass e tem parceria das Secretarias de Educação e Saúde e prefeituras municipais.

Participam do projeto os municípios de Campo Grande, Água Clara, Amambai, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Caracol, Corguinho, Dois Irmãos do Buriti, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Laguna Caarapã, Miranda, Novo Horizonte do Sul, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, Santa Rita do Pardo, Sete Quedas, Sonora, Tacuru e Vicentina.


Capacitação

O projeto visa atender às famílias desses municípios através da capacitação da rede municipal de atendimento para articulação das políticas públicas (saúde, educação e assistência social) e para o trabalho direto das famílias, através do Caderno da Família – Cuidando e Protegendo a Criança.

Após o lançamento do material, foram capacitados os técnicos responsáveis pela execução do projeto junto às famílias, além de radialistas dos municípios envolvidos. O Projeto está em fase de implementação e ampliação, sendo estendido a outros programas da Setass, como os Centros de Educação Infantil e os Programas de Inclusão Social.
 
 
APN

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber
ACIDENTE FATAL
Câmera de segurança registrou acidente fatal de enfermeira. VEJA O VÍDEO
MONSTRUOSIDADE
Homem que matou mãe e filha em Cascavel escreveu carta. Bebê tomou mamadeira “batizada”
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mulher e marido são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos que dormia na casa deles
SUPERSTIÇÃO
Primeira sexta-feira 13 do ano com noite de lua cheia pode ser perigosa, alerta taróloga
ESPORTE
Poderá o poker se tornar olímpico?