Menu
SADER_FULL
quarta, 29 de janeiro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
BANNER BET
Brasil

Programa Saúde da Família atende 67 milhões

30 Jul 2004 - 17h53
A cena lembra a figura do médico da família de antigamente. O clínico geral Marco Aurélio Cândido, de 31 anos, visita a casa da costureira Leontina Maria Oliveira, moradora do bairro Vila Pedroso, na periferia de Goiânia. Assim que chega, logo pergunta se dona Leontina está tomando regularmente o remédio que controla a hipertensão. Ele senta, afere a pressão, examina, conversa, ouve e orienta.

O médico integra uma das 20.561 equipes do Programa Saúde da Família (PSF) espalhadas por 83,6% dos municípios do país. Dez anos após a sua criação, o programa atende hoje cerca de 67 milhões de brasileiros e carrega o propósito de reorganizar a prática da atenção à saúde em novas bases e substituir o modelo tradicional, levando a saúde para mais perto da família.

Com um orçamento estimado para 2004 de R$ 2 bilhões, o PSF prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde. O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio por cada uma das equipes do PSF, compostas por um médico, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e entre quatro a seis agentes comunitários. Cada equipe atende, em média, 3,5 mil pessoas por mês.

Os moradores visitados são indicados por agentes comunitários de saúde, que identificam aqueles que têm dificuldade de ir até o posto de atendimento. A prioridade são as crianças, gestantes, idosos, hipertensos e diabéticos. As equipes também se mantêm atentas à ocorrência de doenças de notificação compulsória, como a hanseníase, a tuberculose e a aids.

Com esse modelo aparentemente simples de assistência à saúde, o programa constrói uma relação médico-paciente mais forte, mais estreita e de respeito.A confiança mútua facilita a identificação e o atendimento aos problemas da comunidade.

“Antes eu tinha que ir até o hospital e muitas vezes esperava horas na fila para ser atendida. Hoje recebo o médico em casa, ele cuida de mim, passa a receita dos remédios e me leva para o hospital quando é preciso”, conta dona Leontina.

A confiança também é percebida pelo profissional de saúde. “O vínculo é muito forte. As famílias têm uma confiança muito grande na gente e acabam consultando a equipe sobre diversos assuntos ligados à saúde”, completa o médico Marco Aurélio.

 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGITIMA DEFESA
Menina mata homem a tijoladas, após tentativa de estupro
CORONAVIRUS NO BRASIL
Paraná tem dois casos de suspeita de Coronavírus. Pacientes passaram pela China
ESPORTE 2020
Lateral brasileiro do Brighton é destaque e conta um pouco da sua trajetória
DOURADOS E REGIÃO
Alô Fátima do Sul, JBS seleciona candidatos para 150 vagas nesta quarta-feira em Dourados
CORONAVIRUS NO BRASIL
Ministro confirma primeiro caso suspeito de coronavírus no Brasil
COMOÇÃO
Morte de cinco pessoas afogadas da mesma familia comove e cidade e tem luto oficial
DOENÇA DO SÉCULO
Brasileiro comete suicídio nos Estados Unidos e família pede ajuda para trazer o corpo
INUSITADO
Vaca invade farmácia e depois cai em córrego, dando trabalho aos bombeiros
JUSTIÇA FEITA
Viúva de Gugu ganha na Justiça direito a pensão de R$ 100 mil por mês
FAMOSIDADES
Baile funk na casa de Ludmilla teve rapper Tyga, mulheres fio dental e policia na porta