Menu
SADER_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Programa Caps atendendo há cinco anos a população do Estado

16 Set 2004 - 14h48

Implantado há cinco anos em Mato Grosso do Sul, o Centro de Atenção Psicossocial (Caps), é um serviço comunitário que tem como papel cuidar de pessoas que sofrem com transtornos mentais, em especial os transtornos severos e persistentes, no seu território de abrangência.

 

Os Caps devem obedecer alguns princípios básicos, como se responsabilizar pelo acolhimento de 100% da demanda dos portadores de transtornos severos de seu território, garantindo a presença de profissional responsável durante todo o período de funcionamento da unidade (plantão técnico) e criar um ambiente terapêutico acolhedor no serviço que possa envolver os pacientes muito desestruturados que não consigam acompanhar as atividades da unidade.

 

A atenção deve incluir ações dirigidas aos familiares e comprometer-se com a construção dos projetos de inserção social. Devem ainda trabalhar com a idéia de gerenciamento de casos, personalizando o projeto de cada paciente, tanto dentro da unidade, como fora dela e desenvolver atividades para a permanência diária no serviço.

 

O primeiro Caps do Estado foi entregue em Julho de 1999 em Campo Grande, no ano 2000 na cidade de Dourados, em 2002 nos municípios de Paranaíba, Ponta Porã e Corumbá, em 2003 os de Três Lagoas e Nova Andradina e neste ano os Caps de Aquidauana, Bela Vista, Naviraí e Bonito.

 

O Caps se divide em 3 tipos: o Caps I e Caps II que têm por objetivo atender a população com transtornos mentais e o Capsad o de atender a população usuária de álcool e outras drogas. A diferença principal entre o Caps I e o II, é que o primeiro tem capacidade para atender em média 170 pacientes/mês e o segundo, 200 pacientes/mês.

 

Nos municípios de Bela Vista, Naviraí, Bonito, Paranaíba, existe o Caps I. Em Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Dourados e Três Lagoas, o Caps II. Os únicos municípios em que há o Capsad são os de Ponta Porã e Dourados.

 

Dados importantes

- 3% da população geral sofre com transtornos mentais severos e persistentes;

- 6% da população apresente transtornos psiquiátricos graves decorrentes do uso de álcool e outras drogas;
- 12% da população necessita de algum atendimento em saúde mental, seja ele contínuo ou eventual;

 

Fátima News

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação