Menu
RIO_DOURADOS
SADER_FULL
Busca
SUCURI_MEGA
Brasil

Programa beneficia jovens agricultores do Espírito Santo

16 Set 2004 - 14h17
Dez jovens, entre 18 e 24 anos, técnicos em agricultura da cidade de Iúna, no Espírito Santo, receberam hoje do Ministério do Desenvolvimento Agrário uma área de 58 hectares de terra onde vão plantar milho, feijão , mandioca e café, além de desenvolver a piscicultura.

Com a criação de uma associação, esses jovens vão conseguir a independência financeira trabalhando em sua propriedade e fazendo aquilo que sabem: trabalhar na terra.

A linha de financiamento faz parte do "Nossa Primeira Terra", do Programa Nacional de Crédito Fundiário, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que beneficia jovens agricultores familiares.

De acordo com o coordenador de Políticas de Jovens do MDA, Fabiano Kempfer, o governo considera a juventude prioritária e estratégica para o desenvolvimento econômico do país. Ele
destaca que pela primeira vez no Brasil um governo estabelece política pública específica para o jovem rural. “Nós nunca vimos isso antes no país. “É uma atividade inédita, que busca não só a permanência do jovem no campo, mas também a utilização dos estudos e das técnicas adquiridas por esses jovens nas escolas agrotécnicas, que vai proporcionar o avanço tecnológico e a consolidação da agricultura familiar”, afirma.

Os jovens, nove homens e uma mulher, já estão trabalhando na estruturação da área, na recuperação imediata de dois mil pés de café e no plantio de mandioca, feijão e milho, sem contar a atividade de piscicultura. “Os jovens vão introduzir culturas alternativas, já que na área predomina a cultura de café. Como a água é abundante na região, a piscicultura também será desenvolvida na terra. Eles vão produzir tudo que precisarem para a própria subsistência na sua propriedade rural, explica o coordenador. Kempfer informou que os jovens agricultores vão continuar com a produção do café, numa escala menor, para garantir o pagamento desse crédito e a sua sustentabilidade.

O coordenador lembrou que os jovens tiveram autonomia total no projeto. “Eles montaram a associação, escolheram a terra, negociaram o preço e definiram o que vão produzir na área. O governo está dando apoio, assistência técnica e incentivos para que esse projeto se consolide".

Segundo Kempfer, os jovens receberam R$ 144 mil para comprar a terra, que serão pagos em 14 anos. Além disso, eles tiveram acesso a subsídios no valor de R$ 36 mil, do governo federal, para começar a plantar.

Um dos jovens que faz parte da associação é Wolfran Neto, de 23 anos. Ele conta que ser dono da própria terra é uma grande conquista. "Nós formamos a associação, com pessoas que conhecemos daqui da nossa região. Com isso, vamos trabalhar e aplicar nosso conhecimento".

Luís Rogério Rodrigues disse que está realizando o sonho de comprar uma terra, que o seu avô e seu pai nunca puderam concretizar. "É um sonho que meu pai teve, meu avô teve e eles não conseguiram comprar terra. E hoje eu estou realizando esse sonho", conclui.
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

Acerto de Contas
Mulher é assassinada e companheiro é poupado pelos bandidos
Macabro
Filho que escondeu corpo de pai pode ser indiciado por três crimes
Novela
'Deus salve o rei': Catarina (Bruna Marquezine) mata Constantino
Novela Global
'Outro lado': Gael luta contra violência doméstica no fim
Monstro
Câmera flagra irmão à procura de menina que teria sido abusada por prefeito de Bariri
Perigo do Selfie
Três garotas caem de ponte de 20 metros ao tirarem fotos em Castelo
Campanha de filiações
Prisão de Lula faz disparar filiações ao PT
O Apocalipse
Arthur (Junno Andrade) fala na TV que Ricardo (Sergio Marone) ressuscitou em seu velório
BBB 18 - Vencedora
Veja a casa de Gleici, do'BBB 18': Sister teve o pai assassinado pelo tráfico e passou fome
Concurso Público
Polícia Federal publica autorização para promover concurso público com 500 vagas