Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 18 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Professora é suspeita de cortar cabelo de alunas para apliques

13 Ago 2010 - 14h38Por Redação Terra
Uma professora do ensino fundamental é suspeita de cortar mechas de cabelo de seis alunas de 8 a 10 anos em uma escola municipal de Ilhéus, a 465 km de Salvador (BA). O caso foi denunciado pela mãe de uma das crianças à Secretaria de Educação em julho. A professora, que atuava como contratada na rede pública desde março, afirma que cortou o cabelo das crianças para retirar chiclete. As mães das crianças acreditam que ela pretendia fazer megahair, um tipo de aplique de cabelo.

A secretaria rescindiu o contrato de trabalho da educadora. Segundo a secretária de Educação de Ilhéus, Lidiney Campos, a mãe de uma das crianças reclamou que a professora havia cortado o cabelo da filha dela em duas ocasiões. A professora teria negado o procedimento.

A secretaria, então, resolveu iniciar uma investigação. A diretora foi à casa das seis crianças e fotografou as meninas. De acordo com Lidiney, as imagens mostram que faltam mechas de cabelo. "A diretora foi falar novamente com a professora e ela disse que tinha cortado para tirar chiclete do cabelo das crianças", afirmou Lidiney.

De acordo com relatos das crianças à diretora da escola, a professora dizia que iria cortar as mechas de cabelo para retirar chiclete e depois colocava o cabelo em saquinhos na bolsa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ACIDENTE FATAL
Adolescente é atropelada quando levava pai em cadeira de rodas, veja o vídeo
VIOLENCIA DOMESTICA
'Não consigo reconhecê-la', diz irmão de mulher espancada no 1° encontro
O REI ROBERTO CARLOS
Roberto Carlos vestiu rosa e se mostrou contrário a projeto de Jair Bolsonaro
BRIGA NO PLANALTO
Magoado e traído, Bebianno não vai poupar filho de Bolsonaro
TRÁGICO
Mãe do piloto de Ricardo Boechat morre três dias após o filho
OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário