Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 12 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Produtores rurais de MS acumulam dívidas de quase R$ 4 bilhões

10 Mai 2007 - 14h33
 

O clima colaborou e foi uma boa safra de verão para os produtores rurais de Mato Grosso do Sul. Cinco milhões de toneladas de soja foram colhidas e o preço da saca a R$ 24 reais deixou todos animados. Mas tudo isso não suficiente para quitar todas as dívidas do setor. Os agricultores devem aos bancos e às empresas que vendem insumos quase R$ 4 bilhões.

 

Muitos agricultores, que já tinham dívidas parceladas, vão ter de procurar as instituições financeiras para renegociar a situação mais uma vez. Mas alguns prazos até mesmo já venceram.

 

Há 36 anos na atividade, o produtor Hilário Coldebella tem uma dívida que vai pagar em 20 anos. A parcela anual vence em agosto e é de R$ 70 mil. “Qualquer taxa que se aplique a esses valores envolve volumes muito grandes, e a queda do preço do produzo faz com que tenhamos que dispensar uma quantidade muito grande de grãos para pagar aquelas dívidas, que na época pareciam que eram leves, mas que se tornaram exorbitantes hoje”, diz.

 

Estas dívidas dos produtores do Estado são resultantes do custeio de safras passadas e também de investimentos, como a compra de novos maquinários e implementos agrícolas. Como parte da dívida dos produtores é mais antiga e já vinha sendo rolada, esta foi securitizada. Com isso o produtor ganhou um prazo mais longo, em torno de 20 anos, para quitar o débito. Mas existem outros empréstimos mais recentes - principalmente de custeio da safra - que já foram renegociados e que devem ser pagos este ano. O acumulado do saldo devedor que precisa ser quitado até o final do ano é de R$ 1,2 bilhão.

 

Segundo o gerente de agronegócio, Loureno Budke, só o Banco do Brasil, o principal agente financiador, tem R$ 730 milhões para receber dos produtores aqui no Estado e, deste total, R$ 70 milhões já vencem no próximo mês. “O ideal do relacionamento do tomador de crédito com uma instituição financeira é que ele sempre consiga liquidar as suas obrigações, para que dessa forma ele tenha um cadastro positivo e sempre estar habilitado a obter novos créditos e em volumes sempre maiores”, orienta.

 

Para o financiamento da próxima safra, a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) vai pedir ao Governo Federal a liberação de R$ 90 bilhões, valor 50% maior em relação ao deste ano. A CNA quer ainda a redução da taxa de juros de 8,75% para 4,5%.

 

 

 

RMT Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Susana Vieira está com leucemia, mas a doença está controlado, diz assessoria
NOVELA GLOBAL
Marina Ruy Barbosa é a heroína de 'O sétimo guardião': 'Luz foge do tradicional'
CONSTRANGIMENTO
Claudia Leitte quebra silêncio e desabafa sobre polêmica com Silvio Santos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concursos oferecem mais de 1 mil vagas e salários de até R$ 6,6 mil
NOVA EQUIPE
Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília
ESPORTE EM TOUROS
VÍDEO: Peão de MS morre após ser pisoteado por touro em rodeio no interior de SP
ULTIMO CAPITULO
Globo exibe último capítulo de Segundo Sol e assunto bomba
DE GLÓRIA DE DOURADOS PARA O MUNDO
Ana Karla é convidada especial da Hyundai para um talk show neste sábado em São Paulo
1ª INDIGENA NO GOVERNO
Índia da equipe de Jair Bolsonaro já atuou com Cauã Reymond e foi moradora de rua
FINAL DE NOVELA
Valentim beija Rosa em gravação que vai ao ar no fim de 'Segundo sol'; veja mais detalhes