Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 25 de agosto de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Produção agrícola de 2005 pode estar ameaçada

15 Set 2004 - 15h40
A possibilidade de se reduzir a área plantada no País em 2005 foi debatida hoje pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, que reuniu produtores e representantes do Governo. Na avaliação do presidente da Comissão, deputado Leonardo Vilela (PP-GO), o setor agrícola precisa de mais crédito e juros mais baixos para elevar a produção no ano que vem, sob o risco de quebra da safra. O temor é de que a produção brasileira de grãos, que vem batendo recordes, fique estagnada nas 120 milhões de toneladas colhidas em 2004. Manter a mesma produção pode significar colheita menor se as condições climáticas não ajudarem. A conseqüência seria um faturamento menor do País no comércio internacional e maior dependência dos investimentos financeiros de curto prazo.
Segundo o parlamentar, os agricultores estão começando a se endividar porque os custos de produção cresceram 25% em média nos últimos meses e os preços dos produtos caíram. "Isso acontece por causa da política econômica do Governo federal, que quer fazer, a qualquer custo, o maior superávit primário possível, sacrificando setores estratégicos como a agricultura", avaliou o parlamentar.
O vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Macel Caixeta, informou que o crédito para a safra deste ano é de R$ 17,700 bilhões, enquanto a necessidade mínima é de R$ 29 bilhões. "Nós já estamos com a possibilidade de quebra da safra de milho. Isso é preocupante porque todos os insumos básicos para a pecuária vêm do milho. Com esses preços e com o agricultor tendo prejuízo, há uma queda significativa", alertou.

Orçamento dobrado
Apesar de reconhecer a insuficiência de recursos, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Ivan Wedekin, ressaltou que o Governo dobrou o volume de recursos destinados para a comercialização no projeto de lei do Orçamento 2005 (PLN 51/04) em relação a 2004. Ele informou que o Banco do Brasil já está liberando mais dinheiro em setembro.
Apesar de o valor ter dobrado, Wedekin pediu apoio dos parlamentares para que sejam destinados mais R$ 300 milhões à agricultura no texto final do Orçamento. "O que há é um quadro rigoroso de ajuste fiscal e demandas crescentes em outras áreas. Portanto, precisamos do apoio do Congresso para termos um poder maior de intervenção e de estabilização da renda e dos preços para o ano que vem", esclareceu.
Para o deputado Leonardo Vilela, além do aumento do crédito, o setor precisa reduzir a tributação sobre insumos e máquinas agrícolas e investimentos em biotecnologia e infra-estrutura de transporte. Segundo o deputado, o Governo tem se mostrado insensível às reclamações.
Os produtores rurais reivindicaram também a destinação de investimentos federais à defesa agropecuária, para combater doenças como a febre aftosa - que atinge o gado bovino - e a ferrugem asiática, que ataca as lavouras de soja.
 
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção