Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 15 de novembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Primeiro quadrimestre de 2010 foi o mais quente da história

18 Mai 2010 - 15h56Por Dourados News

A agência americana que monitora padrões meteorológicos e oceânicos de todo o planeta (NOAA, na sigla em inglês) divulgou um relatório nesta segunda-feira (17) com valores médios de temperatura registrados nos primeiros quatro meses deste ano em todo o globo e, comparando estes dados com a temperatura média registrada no século passado, chegou à conclusão de que este quadrimestre foi o mais quente da história em vários pontos do planeta.

No entanto, os meteorologistas fazem uma ressalva: por se tratar de um período de análise muito curto, é importante que não confundamos este aquecimento com mudanças climáticas associadas, por exemplo, com a influência do homem. Segundo o meteorologista da Somar, Celso Oliveira, neste último caso, apenas análises de períodos muito longos (alguns séculos) podem identificar alguma variação associada à influência humana.

Fazendo uma comparação com o atual estudo, é como se em um dia tivéssemos uma temperatura máxima de quase 45°C no Rio de Janeiro e afirmássemos que isto foi gerado pelas mudanças climáticas antropogênicas - geradas pelo homem. Um único dado (ou um período de análise muito curto) não pode ser associado como uma mudança climática causada pela ação do Homem. "É correto afirmar que passamos por um aquecimento nestes quatro meses de 2010, mas o termo 'aquecimento global' vem do fato de que a maior parte das estações do globo registraram temperaturas mais elevadas que o normal", diz Celso.

O meteorologista explica que a temperatura do ar é diretamente influenciada pela temperatura da superfície do nosso planeta. E como 75% da superfície nosso planeta é composto pelos oceanos, é possível imaginar que boa parte deste aquecimento do ar aconteceu por causa de alguma mudança da temperatura da água dos oceanos. O Oceano Pacífico, o maior deles, vem de um aquecimento nos últimos meses, fenômeno chamado El Niño. Além disso, outros oceanos, como o Atlântico e Índico também estão mais quentes que o normal e todo este aquecimento acabou influenciando a temperatura do ar em boa parte do globo.

Segundo Celso Oliveira, apesar do atual aquecimento do ar, dificilmente terminaremos o ano com este patamar. Isso porque o Oceano Pacífico está entrando em resfriamento, fenômeno conhecido por La Niña. "Aos poucos, ao longo deste ano, este resfriamento do oceano também resfriará a atmosfera de boa parte do globo", finaliza o meteorologista.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto
TRAGEDIA
Ex-prefeito é morto pelo pai após ser confundido com assaltante
ACIDENTE DE TRANSITO
Caminhão passa por cima de veículos e explode em grave acidente
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Marilda (Letícia Spiller) é flagrada nua e finge ser uma assombração
BNDS
“Se não abrir a caixa preta do BNDES, está fora!”, diz Bolsonaro sobre Levy
FAMOSIDADES
Susana Vieira está com leucemia, mas a doença está controlado, diz assessoria
NOVELA GLOBAL
Marina Ruy Barbosa é a heroína de 'O sétimo guardião': 'Luz foge do tradicional'
CONSTRANGIMENTO
Claudia Leitte quebra silêncio e desabafa sobre polêmica com Silvio Santos