Menu
SADER_FULL
quinta, 21 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Prejuízo com as chuvas pode ultrapassar R$ 8 milhões

1 Out 2010 - 13h28Por Diário MS
Dourados já pode ter, pelo menos, R$ 8 milhões em prejuízos causados pela chuva. Esse valor seria só a primeira estimativa da Usina São Fernando, depois do temporal que devastou o local, com ventos de mais de 70 km/h. Soma-se ainda o valor para reconstrução das 239 casas danificadas na cidade, que ainda não foi contabilizado. O prejuízo é o maior valor registrado pelo estrago das chuvas até agora.


A informação é extra-oficial e o número pode ser muito maior, já que precisaria de tempo para que todo o material afetado na usina fosse contabilizado. Os telhados e as paredes de vários galpões foram destruídos com a chuva e ventos fortes que atingiram a usina na noite de domingo. Documentos, móveis e computadores também foram danificados.


Além dos prejuízos materiais, três pessoas ficaram feridas e um vigia morreu depois de ser atingido por destroços da usina. Na tarde de ontem, a equipe do Diário MS tentou por várias vezes entrar em contato com a Usina para confirmar os prejuízos, mas não obteve retorno.


O segundo maior valor, até agora, é o de Três Lagoas, que pediu R$ 4 milhões para reconstruir a cidade, que foi devastada pelo temporal de segunda-feira. Ontem pela manhã a prefeita, Márcia Moura, recebeu a informação de que a quantia, pedida junto à Defesa Civil Nacional, foi concedida.
A saúde do município sofreu danos em 14 prédios que inundaram, incluindo centros de especialidades médica, odontológica e Unidades Básicas de Saúde.

Equipamentos primordiais ao atendimento público ficaram molhados. Além disso, torres de energia foram derrubadas pelos ventos e, até a tarde de ontem, mais de 2 mil pessoas estavam sem energia.


As chuvas que atingem Mato Grosso do Sul desde a noite de sábado já causaram diversos prejuízos. Pelo menos seis municípios decretaram situação de emergência, Dourados, Anaurilândia, Naviraí, Três Lagoas, Batayporã e Santa Rita do Pardo.


Segundo o coordenador da Defesa Civil de Dourados, João Vicente Chencarek, o que motivou o município a decretar a situação de emergência foi a intenção de acelerar o procedimento de solicitação de recursos. “Precisamos dar uma posição às pessoas que foram atingidas com os temporais. Sem um reforço e as chuvas constantes, a tendência é de que piore ainda mais a situação.

Por isso, precisamos buscar recursos e providenciar as reconstruções”, afirma.
Segundo Chencarek, a Defesa Civil já conseguiu chegar aos locais antes não alcançados. “Tivemos o apoio dos jipeiros e conseguimos ir aos locais de difícil acesso para verificar a situação”.


A meteorologia prevê chuva, pelo menos, até a segunda-feira. Hoje há previsão de instabilidade em quase todas as regiões do Estado. No leste pode ter chuva forte e queda de granizo. No extremo sul deve ter aberturas de sol.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara
AMOR A PROFISSÃO
Pedreira caprichosa viraliza com trabalho detalhista e ganha novos clientes
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
O Boticário apresenta Quasar Brave, venha conferir no O Boticário em Fátima do Sul
SUPERAÇÃO
Jovem que morou 5 anos nas ruas se forma em Direito
FENÔMENO
Maior superlua de 2019 iluminará o céu nesta terça, 19