Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 21 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Prefeito de Cassilândia recorre contra afastamento por 180 dias

23 Mai 2007 - 16h08

O prefeito de Cassilândia José Donizete Ferreira Freitas (PT), afastado do cargo acusado de integrar um esquema de fraudes na Prefeitura Municipal, impetrou um agravo no TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) para recorrer da decisão proferida na ação civil pública movida pelo MPE (Ministério Público Federal), que manteve o acusado afastado por mais 180 dias. De acordo com o advogado de defesa de Donizete, Fernando Peró Correa Paes, o agravo pede efeito suspensivo à decisão proferida em primeira instância pela juíza Jeane de Souza Barboza Ximenes, em substituição na 1ª Vara de Cassilândia.

O recurso foi impetrado no final da tarde de ontem e está sendo analisado pelo desembargador Julizar Barbosa Trindade, em substituição ao desembargador Josué de Oliveira, que está de férias. O advogado Fernando Peró alega que caso a decisão seja suspensa pelo desembargador, o prefeito afastado e conseqüentemente o vice-prefeito Sebastião Pereira da Silva (PSB), conhecido como “Tião da Marieta”, poderão retornar ao cargo eletivo.

Na ação civil pública, a juíza determinou que o prefeito, o vice, os servidores Ana Regine Arantes, Ivete Vargas Rocha de Souza, Luceni Quintina Correia, Orange Resende e Silva, Waldimiro José Cotrim Moreira e o contador da prefeitura Jorge Yoshishilo Kobaiashi fiquem afastados da Prefeitura por 180 dias, período que a magistrada reputou necessário e suficiente ao cumprimento dos atos processuais de intimação, defesa prévia, recebimento da ação civil pública, contestação e produção de provas em juízo, considerando-se o número de envolvidos no esquema e a complexidade do caso descoberto em Cassilândia.

Na decisão a juíza alega que a manutenção do afastamento dos acusados “constitui-se de suma importância para o desenrolar do procedimento judicial e sua colheita de provas, uma vez que a simples presença tanto do prefeito quanto de qualquer dos demais envolvidos perante a Prefeitura Municipal, já constitui-se em fator temerário aos demais funcionários da Prefeitura, que serão intimados para depor em juízo, de maneira que enxerga-se de antemão o prejuízo que o retorno dos requeridos ao cargo poderá ocasionar, com eventual intimidação de testemunhas, prevalência da relação de subordinação, destruição de provas, frustração de diligências”, afirma Jeane. A juíza também justifica o afastamento alegando que os acusados não deixarão de receber a remuneração do cargo durante o período que estiverem longe do executivo municipal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OS MAIS BEM PAGOS
Conheça os atletas mais bem pagos da temporada
SAIR DO SUFOCO
Empréstimo pessoal com garantia facilita quitação de dívidas
E AÍ QUAL DAS DUAS OPÇÃO - VEJA
Contratar uma agência de marketing ou investir em uma equipe interna?
COVARDIA
Pai é preso acusado de agredir o filho de apenas cinco meses
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': León destrói rosto de Valentina e ela descobre o segredo da fonte
TERRORISMO
Bolsonaro sofre ameaças de morte em vídeos na internet
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele