Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 22 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Preço estimula aumento de plantio de algodão fora de época

10 Abr 2007 - 04h37

Recuperação das cotações depois do plantio principal fez o produtor ampliar área com segundo cultivo. A melhoria do mercado internacional de algodão no início deste ano fez com que os cotonicultores aumentassem a área da chamada "safrinha" do produto.

A estimativa é que tenham sido cultivados 140 mil hectares depois da época ideal de plantio, equivalente a 12,6% da superfície total usada para a lavoura.

No ano passado foram 42 mil hectares, cerca de 5% do total, o que indica um acréscimo de 230%. "É a maior área de safrinha da história", diz Miguel Biegai Júnior, analista da Safras & Mercado. Segundo ele, quase todo o cultivo, 138 mil hectares, ocorreu em Mato Grosso, maior produtor nacional da fibra. Mato Grosso do Sul e Goiás também registraram plantios de safrinha.

Biegai Júnior explica que na ocasião da tomada de decisão do plantio, no meio do ano passado, o preço de algodão estava bom e o da soja e milho ruim. As cotações naquela época eram de US$ 0,56 a libra-peso. O que estimularia o aumento do cultivo do algodão. No entanto, na época do plantio do produto, em dezembro, para Mato Grosso, os dois grãos tinham se valorizado substancialmente, desanimando os cotonicultores. "Deu a impressão de que a área não seria tão boa. O pessoal engordou o olho e o fez na safrinha", diz Biegai Júnior.

Foi justamente o bom momento da soja que fez o produtor Sérgio Nogueira, de Nova Mutum (MT), plantar safrinha de algodão. Isso porque parte da área destinada ao cultivo de verão foi usada para o plantio de soja precoce, 1,5 mil hectares.

Com a colheita do cereal, em janeiro, ele cultivou 700 hectares de safrinha de algodão. "Foi a primeira vez que plantei, queria experimentar", diz. A safrinha de algodão respondeu por 14% da área total destinada ao produto.

Produtividade

O clima e a tecnologia empregada devem favorecer a colheita de algodão. Enquanto a área cultivada aumentou 32,2%, a safra será 46,1% maior, chegando a 1,38 milhão de toneladas, de acordo com a Safras & Mercado.

Biegai Júnior destaca algumas regiões no Sul de Mato Grosso, onde a produtividade média deve ficar em 330 arrobas por hectare, em caroço.

As estimativas da consultoria são que a produtividade média fique entre 260 a 280 arrobas por hectare em Mato Grosso do Sul e, na Bahia, entre 230 a 250 arrobas por hectare.

De acordo com o analista, os baianos atrasaram o plantio porque nos últimos anos sofreram com estiagem. No entanto, nos últimos dias as chuvas escassearam na região e podem prejudicar a produtividade do algodão.

 

 

Jovem Sul News

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'