Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 19 de março de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Preço do suíno recua 6,3% desde início do embargo russo

22 Out 2004 - 17h05
O preço do suíno vivo para o produtor integrado aos frigoríficos caiu 6,4% desde 20 de setembro, quando o governo russo impôs um embargo às carnes importadas do Brasil, afirmou nesta sexta-feira (22-10) uma fonte do setor produtor. O quilo do suíno vivo passou de R$ 2,35 para R$ 2,20 em Santa Catarina nos últimos trinta dias. Cerca de 45% da produção nacional de suínos está no oeste do Estado, o que faz o preço da região ser referência nacional.

"Estamos preocupados porque o produtor já teve uma redução na remuneração do suíno, e o primeiro reflexo (do embargo), quem está sofrendo é o produtor", afirmou à Reuters o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Neivor Canton.

O Estado foi responsável por 37% das exportações brasileiras de carne suína em 2003, ou 181,717 mil toneladas, segundo a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs). A Cooperativa Central Oeste Catarinense (Coopercentral) abate mensalmente cerca de 200 mil suínos. Segundo Canton, 25% da produção da cooperativa está parada à espera de uma decisão quanto à retomada das exportações para a Rússia.

Com isso, frigoríficos estão tendo de estocar o volume destinado aos russos, já que o mercado brasileiro não é capaz de absorver toda a produção, apesar da proximidade das festividades de fim de ano, quando o consumo por carne suína naturalmente aumenta. "O mercado interno não está tão promissor, o volume que se exporta é muito significativo", disse ele.

De janeiro a agosto deste ano, 61% das exportações brasileiras de carne suína foram para a Rússia. "Produtores e a agroindústria precisam diversificar o mercado externo". Mas Canton acredita que o embargo será resolvido no curto prazo. "Acredito que seja em uns 30 dias. Sabe-se que a Rússia necessita ser abastecida, e o mercado mundial não acena substituir a produção do Brasil".

O embargo da Rússia foi motivado, segundo o governo do país, pelo caso de febre aftosa identificado numa localidade do Amazonas no começo de setembro. A área é considerada de risco para a doença e, portanto, não exporta carne.
 
 
Agrolink

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo