Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 25 de agosto de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Preço do suíno recua 6,3% desde início do embargo russo

22 Out 2004 - 17h05
O preço do suíno vivo para o produtor integrado aos frigoríficos caiu 6,4% desde 20 de setembro, quando o governo russo impôs um embargo às carnes importadas do Brasil, afirmou nesta sexta-feira (22-10) uma fonte do setor produtor. O quilo do suíno vivo passou de R$ 2,35 para R$ 2,20 em Santa Catarina nos últimos trinta dias. Cerca de 45% da produção nacional de suínos está no oeste do Estado, o que faz o preço da região ser referência nacional.

"Estamos preocupados porque o produtor já teve uma redução na remuneração do suíno, e o primeiro reflexo (do embargo), quem está sofrendo é o produtor", afirmou à Reuters o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Neivor Canton.

O Estado foi responsável por 37% das exportações brasileiras de carne suína em 2003, ou 181,717 mil toneladas, segundo a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs). A Cooperativa Central Oeste Catarinense (Coopercentral) abate mensalmente cerca de 200 mil suínos. Segundo Canton, 25% da produção da cooperativa está parada à espera de uma decisão quanto à retomada das exportações para a Rússia.

Com isso, frigoríficos estão tendo de estocar o volume destinado aos russos, já que o mercado brasileiro não é capaz de absorver toda a produção, apesar da proximidade das festividades de fim de ano, quando o consumo por carne suína naturalmente aumenta. "O mercado interno não está tão promissor, o volume que se exporta é muito significativo", disse ele.

De janeiro a agosto deste ano, 61% das exportações brasileiras de carne suína foram para a Rússia. "Produtores e a agroindústria precisam diversificar o mercado externo". Mas Canton acredita que o embargo será resolvido no curto prazo. "Acredito que seja em uns 30 dias. Sabe-se que a Rússia necessita ser abastecida, e o mercado mundial não acena substituir a produção do Brasil".

O embargo da Rússia foi motivado, segundo o governo do país, pelo caso de febre aftosa identificado numa localidade do Amazonas no começo de setembro. A área é considerada de risco para a doença e, portanto, não exporta carne.
 
 
Agrolink

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção