Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 16 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Preço do suíno recua 6,3% desde início do embargo russo

22 Out 2004 - 17h05
O preço do suíno vivo para o produtor integrado aos frigoríficos caiu 6,4% desde 20 de setembro, quando o governo russo impôs um embargo às carnes importadas do Brasil, afirmou nesta sexta-feira (22-10) uma fonte do setor produtor. O quilo do suíno vivo passou de R$ 2,35 para R$ 2,20 em Santa Catarina nos últimos trinta dias. Cerca de 45% da produção nacional de suínos está no oeste do Estado, o que faz o preço da região ser referência nacional.

"Estamos preocupados porque o produtor já teve uma redução na remuneração do suíno, e o primeiro reflexo (do embargo), quem está sofrendo é o produtor", afirmou à Reuters o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Neivor Canton.

O Estado foi responsável por 37% das exportações brasileiras de carne suína em 2003, ou 181,717 mil toneladas, segundo a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs). A Cooperativa Central Oeste Catarinense (Coopercentral) abate mensalmente cerca de 200 mil suínos. Segundo Canton, 25% da produção da cooperativa está parada à espera de uma decisão quanto à retomada das exportações para a Rússia.

Com isso, frigoríficos estão tendo de estocar o volume destinado aos russos, já que o mercado brasileiro não é capaz de absorver toda a produção, apesar da proximidade das festividades de fim de ano, quando o consumo por carne suína naturalmente aumenta. "O mercado interno não está tão promissor, o volume que se exporta é muito significativo", disse ele.

De janeiro a agosto deste ano, 61% das exportações brasileiras de carne suína foram para a Rússia. "Produtores e a agroindústria precisam diversificar o mercado externo". Mas Canton acredita que o embargo será resolvido no curto prazo. "Acredito que seja em uns 30 dias. Sabe-se que a Rússia necessita ser abastecida, e o mercado mundial não acena substituir a produção do Brasil".

O embargo da Rússia foi motivado, segundo o governo do país, pelo caso de febre aftosa identificado numa localidade do Amazonas no começo de setembro. A área é considerada de risco para a doença e, portanto, não exporta carne.
 
 
Agrolink

Deixe seu Comentário

Leia Também

GASES MORTAIS
Homem morre após segurar peidos na casa da namorada
REALITY SHOW
'BBB 19': Danrley diz ser virgem, e irmã brinca: 'Nem no signo'
ALERTA
Smartphone afeta a saúde mental, e o dano pode começar em crianças de 2 anos!
TRAGÉDIA
“Tentei socorrer ele, mas não deu certo”: conta filho de motociclista levado por enxurrada
FURIA DA NATUREZA
Enxurrada derruba casa e provoca pânico e destruição
NOVELA GLOBAL
Gabriel e Valentina viram inimigos mortais em 'O sétimo guardião'
REALITY SHOW
BBB 19 começa hoje. Na Rocinha Casa de Darnrley vira "QG" de Torcida
POSSE DE ARMAS
Bolsonaro assina nesta terça-feira decreto que facilita posse de armas
HEROINA
Professora Helley, que salvou crianças de incêndio em Janaúba, é homenageada e dá nome a rodovia
FAMOSIDADES
Doente, José Mayer foi esquecido pela Globo e abandonado por ‘Amigos’