Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 22 de maio de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Policiais federais parados somam 13 mil; aeroportos têm fila

18 Abr 2007 - 15h42

Cerca de 13 mil servidores que exercem carreiras policiais na PF (Polícia Federal) aderiram à paralisação de 24 horas que a categoria promove nesta quarta-feira em todos os Estados, de acordo com estimativa da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais). Nos maiores aeroportos internacionais, como o de Guarulhos, na Grande São Paulo, há filas nos setores de embarque, devido à demora na conferência de passaportes.

De acordo com a Fenapef, nas superintendências estaduais, estão mantidos serviços básicos de carceragem; emissão de passaportes para casos de urgência; registro de flagrantes com presos e perícia de cenas de crimes. Nos aeroportos, os servidores fazem operação-padrão, ou seja, mantêm apenas metade do efetivo.

Em Guarulhos, às 14h30, a fila no setor de embarques internacionais tinha cerca de 250 pessoas e durava aproximadamente 40 minutos.

Os servidores ligados à Fenapef são das cinco carreiras policiais existentes na PF: delegados, agentes, escrivães, peritos e papiloscopistas.

O movimento realizado nesta quarta-feira é similar ao do último dia 28 de março. Naquele dia, a paralisação só não atingiu os Estados de Alagoas e Santa Catarina.

Brasília - Em Brasília (DF), os policiais realizaram uma caminhada desde a sede da superintendência até a Esplanada dos Ministérios. No começo da tarde, o Ministério do Planejamento decidiu marcar uma reunião com representantes da categoria para esta quinta-feira (19). Segundo a assessoria de imprensa da pasta, o secretário nacional de Recursos Humanos, Sérgio Mendonça, poderá participar da reunião.

Cerca de 300 pessoas participaram do protesto, segundo a PM (Polícia Militar). O número chegou a 500 de acordo com um dos organizadores, a ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal).

Outro importante efeito da paralisação em Brasília foi a interrupção das investigações ligadas à operação Hurricane.

Sem acordo - Os servidores da PF protestam pelo não-cumprimento de um acordo de reajuste salarial que foi firmado com o governo federal em 2006. Eles reivindicam o pagamento de um aumento de 30% previsto no documento. Semanas atrás, o atual ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, chegou a negar a existência do acordo.

Em nota publicada em seu site, a Fenapef ressalta que o protesto desta quarta-feira também reflete a revolta da categoria com o Ministério do Planejamento, que marcou uma reunião no último dia 11, mas não recebeu a comissão de representantes. "

Mobilização paralela - Os servidores que exercem carreiras administrativas na PF não participam da greve desta quarta-feira, mas também estão em campanha. No último dia 11, foi a vez deles pararem por 24 horas por um plano de reestruturação da carreira; por equiparação de seus salários aos dos servidores policiais; e pelo fim das terceirizações.

Representados pelo SINPECPF (Sindicato Nacional dos Servidores do Plano Especial de Cargos da PF), os servidores de carreiras administrativas - cerca de 4.500 em todo o país - exercem serviços internos nos setores de logística e protocolo, por exemplo.

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Com quadro de AVC, Agnaldo Timóteo é internado na Bahia
MONSTRUOSIDADE
Pai bate em bebê até a morte por ela ter nascido menina
HOMICIDIO - MISTÉRIO
Filho de 9 anos encontra pai morto no banheiro de casa
REENCONTRO
Filhos reencontram mãe em asilo depois de 54 anos
EXPLORAÇÃO SEXUAL
Casal é preso por abusar sexualmente de 14 adolescentes, atraídos por emprego
LESÃO CORPORAL
Com ciúmes, mulher queima marido com ferro de passar
FORAGIDOS
Homens encapuzados incendeiam ônibus do transporte coletivo
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
O Boticário apresenta versões de Creme Acetinado da perfumaria de Botica 214 em Fátima do Sul
CAMPO BELO RESORT - FERIADÃO DE JUNHO
Campo Belo Resort com pacote especial para o feriadão de Corpus Christi, confira e faça sua reserva
MÁ SORTE
Morador do PR diz ter acertado os números da Mega-Sena acumulada, mas caixa não registra cartão