Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CONTAINER
Brasil

Polícia Militar de MS aprenderá sistema de segurança japonês

8 Nov 2010 - 15h46Por Campo Grande News
A Secretaria Nacional de Segurança Pública juntamente com o Japão, por meio de um acordo de cooperação técnica trará ao Mato Grosso do Sul o funcionamento da polícia comunitária japonesa, conhecida como Koban. O curso será em São Paulo, em meados de abril de 2011.

A estrutura do modelo japonês Koban, de bases comunitárias, é adotada por diversos países. O sistema funciona com pequenos postos urbanos, onde trabalham de três a quatro oficiais de polícia, que agem preventivamente aconselhando a comunidade, visitando residências e fomentando reuniões.

“Serão enviados 12 policiais, entre capitães e tenentes que já trabalham em batalhões com bases comunitárias e eles serão multiplicadores deste conhecimento logo retornarem ao Estado”, explicou ao site governamental Noticias.MS o coordenador estadual de Polícia Comunitária, coronel Carlos de Santana Carneiro.

Um oficial da PM também deverá viajar ao Japão para conhecer mais profundamente o sistema Koban. “O Japão tem um dos mais antigos modelos de Polícia Comunitária”, diz o coronel.

Em Campo Grande, quatro bases comunitárias estão em operação: nos bairros Coophavila, Coophasul, Nova Lima e Aero Rancho. Ainda neste ano entra em operação a base no Jardim Los Angeles.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico