Menu
PASSARELA
segunda, 23 de julho de 2018
SADER_FULL
Busca
DR. SHAPE
Brasil

PF já recebeu 2,8 mil armas em MS e pagou R$ 243 mil

26 Out 2004 - 13h41
Iniciada em julho, a Campanha do Desarmamento recolheu até agora 2,8 mil armas em Mato Grosso do Sul. O dado é da superintendência estadual da Polícia Federal e inclui as armas entregues nas unidades da PF e também da Polícia Civil em todo o Estado. Conforme os dados, o maior volume entregue foi na Capital, com 1,6 mil. Depois vem Dourados, com 428, e Três Lagoas, com 367. Em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, conhecida pela facilidade de se comprar armas, foram entregues 189 à polícia. No outro extremo do Estado, em Corumbá, na fronteira com a Bolívia, foram entregues pela população 188. Em Naviraí, foram 107 revólveres e pistolas.
Quem entrega as armas à polícia pode receber uma indenização de até R$ 300,00, dependendo do resultado pericial. Armas consideradas obsoletas ou de fabricação artesanal não recebem indenização. Até agora, conforme os dados da Polícia Federal foram pagos no Estado R$ 243 mil em indenização.

 

 

 


Campograndenews

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPERAÇÃO POLICIA FEDERAL
Prisões de Puccineli e filho são destaques em jornais nacionais
OSTENTAÇÃO
Cavalo que vale mais que uma Ferrari é destaque em exposição
CAMPO BELO RESORT - PROMOÇÃO
Campo Belo Resort com promoção especial de 22 a 31 de julho, CONFIRA
NOVELA GLOBAL
Em 'Segundo sol', Karola descobre o paradeiro de Luzia e chantageia a DJ: Beto ou cadeia?
ACIDENTE FATAL NO BEACH PARK
Acidente no Beach Park, veja como é o brinquedo 'Vainkará' que matou turista
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Fátima do Sul: O Boticário lança linha de cuidados masculinos e mostra que homens também se cuidam
ACIDENTES NAS ESTRADAS
Acidente grave: nove caminhões e um morto na BR-376
POLEMICA
Transexual é retirada algemada de banheiro público feminino em Araruama
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Remy agarra Luzia e Ícaro salva a mãe de ser estuprada
TURISMO PELO BRASIL E MUNDO
Indústria de Hotéis aguarda aprovação dos jogos para captar bilhões em produtos turísticos