Menu
SADER_FULL
quinta, 13 de dezembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

PF apreende máquinas caça-níqueis em Campo Grande

3 Jul 2004 - 09h36
Equipes da Polícia Federal estão neste momento espalhadas por Campo Grande para recolher máquinas de caça-níqueis. Segundo o delegado Sandro Paes, a medida atende ordem do juiz José Eduardo de Almeida Leonel Ferreira, da 1ª Vara Federal de Três Lagoas.
Paes explica que 10% das máquinas (ou pelo menos uma) são recolhidas para perícia, enquanto as outras são lacradas e os proprietários dos estabelecimentos ficam como fiéis depositários.
As máquinas de caça-níqueis estavam autorizadas a funcionar desde 3 de junho, quando o desembargador do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) Divoncir Schreiner Maran concedeu liminar em favor da empresa Jana Promoções e Eventos, de propriedade do empresário Jamil Name.
Ele tinha autorização da Lotesul para o funcionamento de 1,7 mil máquinas antes que o governo federal baixasse medida provisória proibindo os bingos e o governo estadual, em decorrência, revogasse os decretos que autorizavam o funcionamento de bingos e caça-níqueis no Estado.
 
 
Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Aranha descobre marca de pata de gato de Gabriel, tira foto e conta aos guardiã
SUSTO
Celular pega fogo no bolso da calça e deixa homem com queimaduras na perna e mãos
PROCURADO
Com prisão decretada desde setembro, Dado Dolabella é considerado foragido da Justiça
DICAS DE MARKETING
5 dicas de marketing para um negócio de dropshipping
CRIME HEDIONDO
Câmera flagra ataque de suspeito de estuprar garota de 14 anos em SP; vídeo
TERROR
Ataque dentro da Catedral deixa ao menos cinco mortos em Campinas
REVIDE
Passageiro atropelado por motorista de aplicativo após vomitar em carro está em coma
A SERVIÇO DE DEUS
Angela Bismarchi festeja diploma para ser pastora: ‘Eu era pecadora e não sabia’
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Luz dá caixa com terra de cova de Gabriel para Valentina
INTOCÁVEL
PF pediu prisão domiciliar de Aécio, Cristiane Brasil e Paulinho da Força, mas PGR e STF não concede