Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 21 de abril de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Petrobras poderá aceitar gás por refinarias na Bolívia

22 Mai 2007 - 05h03

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, indicou nesta segunda-feira que a estatal estaria disposta a receber em gás o pagamento pelas refinarias vendidas ao governo boliviano.

"Se a Bolívia propuser pagar em gás, vamos ter que analisar as condições de pagamento porque gás para nós é dinheiro. Agora, preferimos claramente receber em dinheiro", disse Gabrielli, num seminário sobre gás em São Paulo.

Ele ressaltou que se o pagamento for feito em gás, o valor terá de ser o de mercado.

A Bolívia anunciou este mês que comprará as duas refinarias da Petrobras naquele país por US$ 112 milhões, dentro do plano de nacionalização do governo de Evo Morales.

Em sua apresentação, Gabrielli afirmou que serão necessários de 25 a 30 anos para que ocorra uma integração energética na América do Sul, e citou que na Europa, a montagem de uma rede energética levou cerca de 50 anos.

"Cada país tem que definir regras. Não é fácil, mas é possível. O parlamento precisa aprovar lei", salientando que não adianta resolver a questão com o Exército, por exemplo, como fez a Bolívia.

"O Iraque está mostrando que não se consegue estabilidade com as Forças Armadas. Tem que haver uma relação de equilíbrio do ponto de vista formal e econômico", disse ele.

Perguntado se a relação com a Bolívia havia melhorado após o acerto da venda das refinarias, ele disse: "Não é uma questão de melhorar ou piorar, é uma questão de trabalhar os problemas a cada dia."

Gabrielli citou no evento pontos do plano estratégico da Petrobras na área de gás.

A companhia projeta a demanda máxima de gás em 2011 em 121 milhões de metros cúbicos/dia, praticamente o mesmo volume da oferta potencial no Brasil, sendo que a importação da Bolívia se estabilizaria em aproximadamente 30 milhões de metros cúbicos/dia.

Por outro lado, com invsetimentos da Petrobras de aproximadamente R$ 11 bilhões, a oferta de gás natural do Brasil praticamente triplicaria, para até 71 milhões de metros cúbicos/dia.

A oferta de GNL (gás natural liquefeito), hoje praticamente inexistente, cresceria para até 20 milhões de metros cúbicos/dia, considerando a produção nacional e também a importação de Trinidad e Tobago, Argélia, Qatar e Omã.

Segundo ele, o Brasil terá 11 campos novos de produção de gás não-associado a petróleo, o que permitirá uma melhor gestão desta oferta.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Confira agora os 5 passeios mais românticos de Bonito (MS)
EM ÁUDIO VAZADO
Em áudio, Onyx diz que governo deu 'uma trava na Petrobras', caminhoneiros podem ficar sossegados
EMOÇÃO E RECOMEÇO
Mãe e filho se reencontram em hospital após desabamento de prédios
ACIDENTE FATAL
Três morrem em explosão provocada por vazamento de botijão de gás
NOVA PARALISAÇÃO
Ala dividida de caminhoneiros falam em greve no próximo dia 29 em todo o Brasil
CAMPO BELO RESORT - PARAÍSO É AQUI
Com noite Árabe e Italiana, PACOTE do dia 03 a 05 de maio já disponível para o Campo Belo Resort
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
Menino de 12 anos foge de casa, burla esquema de segurança e embarca em avião
DEU RUIM
Vítima reage e mata assaltante que tentava roubar camioneta em Toledo – ASSISTA VÍDEO
PAI MONSTRO
Pai é preso suspeito de estuprar e engravidar a filha de 11 anos
15 METROS DE ALTURA
MILAGRE – Menina de um ano que caiu do 4º andar de prédio não sofreu nenhuma fratura