Menu
SADER_FULL
quarta, 17 de outubro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
DR. SHAPE
Brasil

Perito confirma que assinatura em carta é de Maluf

15 Jul 2004 - 07h30
O Ministério Público divulgou, hoje, laudos feitos por peritos da Universidade de Campinas (Unicamp) confirmando que a assinatura na carta enviada pelo banco suíço UBS Zurich é de Paulo Maluf. A carta pede a transferência de recursos depositados na Suíça para um banco no Reino Unido.

Quando a carta foi divulgada, Maluf disse que o documento era falso. Peritos contratados por Maluf disseram que a assinatura no documento não é dele.

Os laudos da Unicamp, no entanto, dizem que não há nenhuma chance de o documento ser falso. O perito Ricardo Molina, da Unicamp, analisou a carta em conjunto com especialistas da polícia paulista e assina o laudo que descarta a existência de fraude.

Para Maluf, laudo do MP não tem credibilidade
Durante visita a uma feira de calçados em São Paulo, Maluf contestou a credibilidade do laudo divulgado hoje pelo MP. De acordo com informações da repórter Silvia Ribeiro, do Jornal do Terra, Maluf insinuou que o candidato tucano está por trás dos documentos supostamente falsos divulgados pelo MP.

"Lamento que candidato Serra torne se não só o vampiro da economia, do sangue, mas também o vampiro da baixaria", disse Maluf. Na opinião do político do PP, o MP está agindo de modo eleitoral ao divulgar cartas falsas. Maluf diz que tem laudos que divergem do documento assinado por Molina.

Escrita em inglês, a carta manuscrita e assinada dá instruções para movimentação de dinheiro no exterior. O documento, de dezembro de 1996, é endereçado ao banco UBS, de Zurique, onde Maluf é correntista, segundo extratos bancários enviados da Suíça ao Ministério Público de São Paulo.

"Eu gostaria de transferir todo o dinheiro existente atualmente na fundação White Gold para meus quatro filhos em partes iguais", afirma um trecho da carta, em inglês. O documento pede que a fundação seja encerrada e os investimentos - um total de US$ 100 milhões - distribuídos para uma conta a ser aberta pela empresa Durant International Corporation na agência do UBS em Londres.

O Ministério Público acredita que o dinheiro tem origem ilícita e associa às transferências a obras superfaturadas e escândalos de corrupção na gestão de Maluf na prefeitura de São Paulo, entre 1993 e 1996.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NO JORNALISMO
Morre Gil Gomes, jornalista policial, aos 78 anos, em São Paulo
SELEÇÃO BRASILEIRA
Brasil vence a Argentina com gol de Miranda nos acréscimos e conquista o Superclássico
HORARIO DE VERÃO
Início do horário de verão não será adiado, informa o Planalto
IBOPE PARA PRESIDENTE
Ibope para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
ASSASSINATO
Rapaz agride avós de adolescente que não quis namorar com ele; avó morreu
TRAGEDIA NA RODOVIA
Carro ocupado por sete pessoas se envolve em acidente; cinco morreram
REVOLTANTE
Menina de 11 anos é estuprada por detento ao visitar irmão em presídio
ACIDENTE FATAL
Douradense morre em acidente no RS
REALITY SHOW
A Fazenda 10: Ana Paula é eliminada e se manifesta contra Bolsonaro
FACÇÃO CRIMINOSA
Decapitada por Satã do PCC, jovem morreu por exigir respeito após roubo de chinelo