Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 15 de setembro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Perito confirma que assinatura em carta é de Maluf

15 Jul 2004 - 07h30
O Ministério Público divulgou, hoje, laudos feitos por peritos da Universidade de Campinas (Unicamp) confirmando que a assinatura na carta enviada pelo banco suíço UBS Zurich é de Paulo Maluf. A carta pede a transferência de recursos depositados na Suíça para um banco no Reino Unido.

Quando a carta foi divulgada, Maluf disse que o documento era falso. Peritos contratados por Maluf disseram que a assinatura no documento não é dele.

Os laudos da Unicamp, no entanto, dizem que não há nenhuma chance de o documento ser falso. O perito Ricardo Molina, da Unicamp, analisou a carta em conjunto com especialistas da polícia paulista e assina o laudo que descarta a existência de fraude.

Para Maluf, laudo do MP não tem credibilidade
Durante visita a uma feira de calçados em São Paulo, Maluf contestou a credibilidade do laudo divulgado hoje pelo MP. De acordo com informações da repórter Silvia Ribeiro, do Jornal do Terra, Maluf insinuou que o candidato tucano está por trás dos documentos supostamente falsos divulgados pelo MP.

"Lamento que candidato Serra torne se não só o vampiro da economia, do sangue, mas também o vampiro da baixaria", disse Maluf. Na opinião do político do PP, o MP está agindo de modo eleitoral ao divulgar cartas falsas. Maluf diz que tem laudos que divergem do documento assinado por Molina.

Escrita em inglês, a carta manuscrita e assinada dá instruções para movimentação de dinheiro no exterior. O documento, de dezembro de 1996, é endereçado ao banco UBS, de Zurique, onde Maluf é correntista, segundo extratos bancários enviados da Suíça ao Ministério Público de São Paulo.

"Eu gostaria de transferir todo o dinheiro existente atualmente na fundação White Gold para meus quatro filhos em partes iguais", afirma um trecho da carta, em inglês. O documento pede que a fundação seja encerrada e os investimentos - um total de US$ 100 milhões - distribuídos para uma conta a ser aberta pela empresa Durant International Corporation na agência do UBS em Londres.

O Ministério Público acredita que o dinheiro tem origem ilícita e associa às transferências a obras superfaturadas e escândalos de corrupção na gestão de Maluf na prefeitura de São Paulo, entre 1993 e 1996.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber
ACIDENTE FATAL
Câmera de segurança registrou acidente fatal de enfermeira. VEJA O VÍDEO
MONSTRUOSIDADE
Homem que matou mãe e filha em Cascavel escreveu carta. Bebê tomou mamadeira “batizada”
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mulher e marido são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos que dormia na casa deles
SUPERSTIÇÃO
Primeira sexta-feira 13 do ano com noite de lua cheia pode ser perigosa, alerta taróloga
ESPORTE
Poderá o poker se tornar olímpico?