Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Perdas no milho safrinha podem chegar a 20% em MS

24 Jul 2007 - 13h39
O forte da colheita do milho safrinha ainda não começou, mas os produtores já estimam perdas expressivas por conta do clima adverso. Principal pólo produtor, Maracaju pode ter perda de até 20%, segundo o presidente do Sindicato Rural, Luís Alberto Moraes Novaes. Em âmbito estadual se fala em uma safra abaixo de 2 milhões de toneladas do grão.
Novaes afirma que ventos muito fortes derrubaram milho no chão. Além disso, acrescenta, a chuva que caiu na semana passada, interrompendo a estiagem que completou 50 dias, veio muito tarde para salvar as plantas que vinham agonizando por falta de água. Em Maracaju foram plantados 120 mil hectares com milho.
Perdas – Para o gerente da maior cooperativa agrícola do Estado, a Cooagri, Maurício Peralta, a tendência é que as perdas fiquem acima de 20% entre todas as regiões produtivas. A previsão inicial, afirma, apontava safra de 2,4 milhões de toneladas do grão e a última 2,2 milhões. “Eu acho que a produção fica abaixo de 2 milhões de toneladas”, acredita. Para ele, esta tendênia deve ser mostrada na próxima reunião dos técnicos do IBGE.
Segundo Peralta, a falta de chuva trouxe prejuízos a toda a faixa de produção, que passa principalmente por Rio Brilhante, Maracaju e Dourados. Nos municípios de fronteira, afirma, ocorreram ainda as perdas por conta da geada, já apontadas pelo IBGE no último prognóstico.
Preços – Embora os preços pagos pelo mercado hoje estejam menores que os firmados nas semanas anteriores, a perspectiva é boa, segundo Leon Dávalos, da Granos Corretora de Grãos. Cerca de 15% da área plantada no Estado foram colhidos e o que é vendido no momento é para cumprir contratos, fechados entre 14,50 e R$ 15,00 a saca de 60 quilos. Neste momento os negócios estão na casa dos R$ 13,50 a R$ 14,00.
Os leilões realizados pelo governo federal, que têm destinado o grão à exportação, ajudam a segurar os preços. Por isso, acredita Dávalos, mesmo no auge da safra a tendência é que os preços se mantenham. Recentemente o governo federal aumentou o prêmio pago pelo milho.
 
 
 
Dourados News

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho