Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 22 de agosto de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Pelo menos 50% dos policiais militares fazem "bicos"

27 Jul 2004 - 10h55
Pelo menos 50% dos policiais militares de Mato Grosso do Sul, o que corresponde a 1,6 mil dos 3,2 mil que formam a coorporação, fazem bicos como seguranças de estabelecimentos comerciais, de eventos e até mesmo pessoal, segundo informação do relações públicas da Associação de Cabos e Soldados de Mato Grosso do Sul, Amauri Braga de Oliveira.
Segundo o dirigente, "essa situação é ruim para o próprio policial, que abre mão do descanso para garantir o sustento em casa, e pior ainda para a população, considerando que o rendimento desses profissionais no policiamento acaba comprometido".
Hoje, a média salarial dos policiais é de R$ 850,00 líquidos. No caso de iniciantes, R$ 750,00, considerando descontos previdenciários e de plano de saúde. “Se o policial tiver dois ou três filhos e não fizer bico não sobrevive”, diz Braga.
Há dois meses a associação remeteu ao Comando da Polícia Militar projeto que estabelece 40 horas de carga horária semanal e remuneração por horas-extras. “Hoje chegamos trabalhar a 80 horas em períodos como carnaval”, diz.
A categoria também questiona a disparidade em relação aos vencimentos de policiais rodoviários federais, de R$ 3,7 mil em início de carreira e federais, de R$ 4,2 mil. “Mais de 75% da massa carcerária quem coloca no presídio é a Polícia Militar”, afirma Braga.
Segundo informações da Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública, não existe no estatuto da categoria determinação que proíba ou legalize a atividade fora da corporação. Porém, também não pede dedicação exclusiva, embora eticamente isso seja proposto.
Embora não haja impedimento para os bicos, como servidor público o policial não pode ter outro vínculo empregatício, nem prejudicar a atividade operacional da instituição, preocupação que surge por conta do cansaço que a dupla jornada gera.
A assessoria de imprensa do Comando da Polícia Militar informou que atividades complementares, como os chamados "bicos" são irregulares. A assessoria se negou a fornecer cópia do estatuto que regulamenta a profissão, alegando que o documento pode ser consultado na internet. Sobre o projeto de pedido de horas extras, o serviço de relações públicas do Comando informou que “o projeto vai percorrer o caminho normal e está junto à Governadoria”.
 
 
 
Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATALIDADE
Menina de 7 anos é atacada por pitbull e morre na casa dos avós
CRIMINOSO FORAGIDO
Ataque com machadinha deixa alunos e professora feridos em escola
POLEMICA II
Após polêmica, deputado diz que não existe PL de poliamor ou casamento entre mães e filhos
CONFISSÃO
Filhos investigam e descobrem que pai matou a mãe há 37 anos
MAL SUBITO
Policial militar tem mal súbito e morre no mesmo dia que descobriu que seria pai
NOVELA GLOBAL
Régis oferece vender loja para dar dinheiro a Maria da Paz em 'A dona do pedaço'
POLÊMICA
Vale Tudo: projeto libera casamento entre mães e filhos e revolta MS
100 VERBAS
Emissão de CPF e restituição do IR podem ser suspensas pela Receita
100 PENA
'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
ACIDENTE TRÁGICO
Morte de três profissionais em acidente comove a cidade