Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 18 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

PEC pode recriar 65 cargos de vereador em Mato Grosso do Sul

17 Ago 2007 - 09h58
A PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 333/04, conhecida como PEC dos vereadores, pode aumentar em 65 o número de vagas nas câmaras municipais do Estado, segundo estimativa do presidente da UCV (União das Câmaras de Vereadores) de Mato Grosso do Sul, Ilson Martins Leite (PDT). Hoje o Estado tem 712 vereadores nos 78 municípios. O número pode passar para 786 e chegar próximo aos 787 que existiam até 2004.

A proposta de emenda deve ser votada na próxima semana na Câmara dos Deputados. O texto redimensiona o número de vereadores em relação à população dos municípios e tem o objetivo de retomar praticamente a totalidade das vagas derrubadas pela resolução 2172/04 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de 2004 que eliminou 8.481 cadeiras das 60.229 existentes em todo o País.

De acordo com a PEC, as cidades mais beneficiadas seriam as de médio porte. No Estado, a mudança deve devolver a Dourados – segunda maior cidade sul-mato-grossense – cinco vereadores, passando a 17 o número total de parlamentares. Outra mudança, prevista pelo presidente da UCV, é o aumento de 21 para 27 parlamentares na Câmara de Vereadores da Capital.

Os números não são fechados e dependem ainda de um censo que está sendo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Duodécimo

Outra proposta da PEC é a diminuição do duodécimo das Câmaras, que deve ser reduzido em cerca de 0,5% em média, provocando também queda nos salários dos vereadores e enxugamento nos orçamentos das Câmaras. Atualmente, os subsídios pagos aos vereadores variam de R$ 900 (em Figueirão) até R$ 10 mil (na Capital).

O presidente da UCV/MS avalia que a diminuição de recursos não vai prejudicar as Câmaras, apesar do possível aumento de cadeiras.

“Eu entendo que haverá um enxugamento nos gastos Legislativos. Em compensação, a representatividade política vai estar restabelecida. A resolução do TSE trouxe um prejuízo, tanto no arcabouço jurídico, quanto na representatividade. Um exemplo é Dourados, que tem mais de 100 mil eleitores, e teve a representatividade reduzida a 12 vereadores. Douradiana que é bem menor e está do lado tem 9 vereadores”, explica.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares