Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 17 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Parcerias visam fomentar ovinocultura em Maracaju e Dourados

28 Ago 2007 - 17h00
Ovinocultores de Dourados e Maracaju poderão impulsionar sua produção, através da implantação do Projeto Aprisco nos municípios. Na quinta-feira, 30 de agosto, às 16 horas, Sebrae/MS, Prefeitura Municipal e Sindicato Rural de Maracaju assinam convênio de cooperação técnica para desenvolver a atividade na região. Em Dourados a assinatura aconteceu nesta terça-feira, 28.
 
Em Maracaju, o Aprisco começará com 32 produtores rurais e um rebanho estimado de 7.780 animais, sendo três mil matrizes, segundo dados do Instituo brasileiro de Geografia e estatística - IBGE. Já em Dourados, são 10 produtores rurais da Associação de Criadores de Ovino de Corte de Dourados, que tem rebanho estimado de 6.860 animais, sendo 840 matrizes.
 
A expectativa, de acordo com a médica veterinária Verônica Guglielme, é que daqui a um ano cada propriedade tenha pelo menos 300 fêmeas (matrizes), garantindo, em média, receita líquida mensal de R$1.500 reais. “O projeto tem vistas a melhorar a qualidade da carne do cordeiro e aumentar a produção. Assim, o produtor tem condições de fornecimento constante aos frigoríficos e lucratividade estável”.
 
O Projeto Aprisco atua com grupos de produtores de ovinos por meio de um sistema de produção voltado ao mercado de cordeiro para corte. O objetivo é melhorar o rendimento, evoluir a atividade na região e aumentar a rentabilidade do produtor, com a estruturação do padrão de criação.
 
Segundo o gestor do Projeto, Marcos Rodrigo de Faria, “o acompanhamento contínuo de pequenos produtores de ovinos reflete na produção de um cordeiro com mais qualidade, melhor aproveitamento da carcaça e conseqüente aumento da renda do produtor”.
 
O acompanhamento é feito por um agente de desenvolvimento rural – ADR, a partir de visitas mensais à propriedade. O trabalho consiste em levar informações quanto ao controle sanitário, zootécnico e gerencial. Além da carne, o intuito é aproveitar as vísceras e lã do animal.
 
Potencial da atividade – de acordo com dados do IBGE, o rebanho de ovinos no país está estimado em 16,5 milhões de cabeças, a atividade apresentou um aumento de 6,5% em 2006 em relação ao ano anterior. Na Região Centro-Oeste de 1996 a 2005, a produção cresceu cerca de 46,7%, sendo que Mato Grosso do Sul apresenta o maior rebanho da região, com cerca de 700 mil cabeças (54,6%).
 
O Projeto Aprisco foi criado pelo Sebrae Nacional com o objetivo de desenvolver a criação de cabras, bodes e ovelhas no nordeste brasileiro, região que concentra 69% do rebanho nacional. O Sebrae/MS aderiu ao projeto em agosto de 2004 e utilizou a concepção do Projeto Aprisco desenvolvido no nordeste, mas com adaptações locais.
 
 
Fátima News
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto