Menu
SADER_FULL
segunda, 19 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Paranaenses compram semente de soja transgênica

5 Out 2004 - 14h44
A existência de uma lei estadual que proíbe o plantio, a comercialização e o transporte de soja transgênica não impediu que produtores paranaenses comprassem sementes geneticamente modificadas para plantio nesta safra.

No ano passado, a reportagem constatou o plantio em várias áreas do sudoeste do Estado. Para esta safra, que tem seu pico de plantio neste mês e em novembro no Paraná, produtores do sudoeste, oeste e de alguns municípios do noroeste já estocam sementes transgênicas para o plantio.

Produtores das regiões de Francisco Beltrão e Pato Branco (no sudoeste), de Palotina, Cascavel e Toledo (oeste) e de Goioerê (centro-noroeste) ouvidos pela reportagem confirmaram a tendência de a soja geneticamente modificada avançar nessas regiões.

As sementes vêm de produtores do Rio Grande do Sul e de contrabando da Argentina, onde é permitido plantar soja transgênica. O avanço nas regiões oeste e sudoeste do Paraná representa um grande impacto. As duas regiões respondem por 32,7% da área que será plantada com soja no Estado, segundo estimativa do Deral (Departamento de Economia Rural).

Segundo os números do Deral, o Paraná plantará 4,07 milhões de hectares, com previsão de colher 12,352 milhões de toneladas de soja nesta safra de verão. A proibição do governo criou uma situação ambígua para as cooperativas paranaenses. Ao mesmo tempo em que defende o respeito à lei estadual, que proíbe o plantio, a Ocepar (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná) divulgou estudo mostrando que os produtores economizarão US$ 250 milhões, por safra, se o plantio for adotado.

Flávio Turra, gerente técnico e de comercialização da Ocepar, explica a ambigüidade. Segundo ele, a Ocepar defende o plantio da soja transgênica, "mas respeita a legalidade e orienta os produtores a trabalhar dentro da lei".

Turra diz que a Ocepar quer regras claras. "Queremos o direito de o produtor escolher entre a transgênica, a convencional e a orgânica. Existe mercado para todos, desde que aconteça uma segregação, evitando misturas".

Requião vê perda

O governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), diz que a liberação, pelo Senado, para o plantio de soja transgênica vai ser uma derrota "pessoal e para o país". Ele diz que a liberação abre caminho para "o monopólio" da soja nacional.

"A América Latina, Brasil à frente, já supera os EUA na produção de soja. Agora querem criar um monopólio do plantio de soja, favorecendo uma empresa e trazendo prejuízos para o país".

Sem citar diretamente a multinacional Monsanto, que detém a patente da soja RR (Roundup Ready), matriz das variedades desenvolvidas de soja transgênica no país, ele insinuou que a empresa faz lobby para a aprovação da lei no Senado. Requião admitiu que a aprovação da liberação será uma derrota pessoal em sua luta por manter o Paraná como área livre de transgênicos.
 
 
Gazeta do Párana

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGORA DEU MEDO
Velório é interrompido após morto 'apertar' mão da esposa
TRAGEDIA NA RODOVIA
Três pessoas morrem em acidente envolvendo carro e caminhão na BR-277
FATALIDADE
Jovem mulher morre ao levar choque usando o secador de cabelos
ABSURDO - BRASIL
Mulher mata o marido a facadas e leva pênis para a amante dentro de um copo
MORTE E COMOÇÃO
Jovem caminhoneira morre em acidente e comove colegas de toda a região
FACULDADE
Irmãs estudantes de engenharia vendem doces nos trens do Rio para se sustentar
MUITA FUMAÇA
Crianças passam mal em incêndio que dura três dias
VICENTINENSE DE CORAÇÃO
Após 30 anos dividindo palco, Erika Figueiredo aposta no solo e lança clipe, ASSISTA
SIAMESAS
Mulher dá à luz gêmeas siamesas de 3,700KG as duas
ACIDENTE DE TRABALHO
Homem morre ao ser puxado por colheitadeira quando fazia limpeza