Menu
SADER_FULL
segunda, 21 de maio de 2018
RIO_DOURADOS
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Para médico sindicalista, é melhor ser atendido pelo SUS

28 Jun 2010 - 09h08Por Agência Brasil
Embora reconheça que o serviço de saúde privado cumpre um importante papel e que sem ele o Estado teria ainda mais dificuldades para oferecer à população um serviço de qualidade, o presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo, Cid Carvalhaes, defende as vantagens do Sistema Único de Saúde (SUS) sobre os convênios particulares.

“Apesar da constante preocupação com a falta de recursos, no serviço público não se recusa atendimento, especialmente na urgência, nos tratamentos de alta complexidade e na oferta de medicamento de alto custo. Já na assistência privada, todos os dias nós observamos recusas de procedimentos”, declarou Carvalhaes à Agência Brasil, alegando que, apesar dos problemas, a assistência pública é “muito superior aos convênios particulares. “

De acordo com o médico, nenhum plano de saúde privado tem, hoje, condições plenas de oferecer assistência de urgência. Carvalhaes também questiona o fato de os procedimentos médicos de alta complexidade, como transplantes (exceto de córneas), tratamento de queimados, cirurgias complexas e distribuição de medicamentos de alto custo, serem feito pelo SUS mesmo quando o paciente paga por um plano privado.

“É preciso fortalecer o SUS e esclarecer as pessoas que, caso elas tenham uma doença mais grave, um traumatismo ou um acidente grave, acabarão sendo atendidas pelo SUS. E que elas devem torcer para que isso de fato aconteça porque nenhum hospital particular do país dispõe de um serviço de atendimento de urgência, de um pronto-socorro pleno. Todos têm equipes incompletas”, critica o médico.

A presidente da União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (Unidas), Iolanda Ramos, refuta a acusação de que os hospitais particulares não estejam aptos a atender emergências mais graves, mas admite que os casos complexos e a distribuição de medicamentos caros ainda são problemas para as operadoras, pois encarecem demais os custos das empresas.

“Não nego que haja problemas e é isso que justifica a existência da ANS [Agência Nacional de Saúde Suplementar], que tem autuado as empresas com problemas. Mas, se o número de usuários vem crescendo, se alguém contrata um plano de saúde, é porque as pessoas consideram isso importante. Imagina o serviço público, com todas as suas carências, tendo que atender aos mais de 50 milhões de clientes de planos particulares. Haveria um colapso”, alega Iolanda.

Com base nas reclamações recebidas pelos procons de 24 estados, a assistente de direção do Procon-SP, Selma do Amaral, sustenta que, apesar dos avanços recentes, a insatisfação com os planos é grande e motivada, principalmente, pelos aspectos citados por Carvalhaes. "Existe uma insuficiência das redes de atendimento às pessoas que todos os meses pagam um plano e que, na hora em que precisam dele, encontram problemas semelhantes aos encontrados pelos usuários da rede pública", afirma Selma, para quem é necessário regulamentar a obrigação das operadoras de manter a oferta de consultórios, laboratórios e clínicas contratadas, como já acontece com os hospitais.

Algo com que a própria presidente da Unidas concorda. "A lei ainda não trata disso, mas estou certa de que, em breve, isso irá acontecer. Este é um mercado em constante mudança e altamente regulado de forma a garantir os direitos dos consumidores".

Sem minimizar os problemas dos hospitais públicos, Carvalhaes atribui à publicidade e à mídia parte do interesse de uma parcela da população pelos planos de saúde. Para ele, a imprensa tende a adotar uma posição extremamente crítica em relação ao serviço público, expondo, “corretamente”, qualquer problema, enquanto trata de forma mais amena o que se passa nos hospitais particulares. “Isso induz a um conceito equivocado quanto à qualidade dos serviços oferecidos pelo SUS. Se não houvesse os serviços suplementares, o Estado teria que encontrar uma alternativa, que eu não sei qual é, para garantir o atendimento a todos os cidadãos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DISCUSSÃO VIRA MORTE
Discussão entre vizinhos por som alto termina em tragédia
LUTO NA MODA
Morre Nara Almeida, modelo e influenciadora digital aos 24 anos nesta 2ª feira
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Roberval se envolve com Laureta, dá golpe e foge com joias roubadas
APOCALIPSE
André (Sidney Sampaio) vasculha a casa de Estela (Lisandra Souto) e faz ameaças a ela e a Talita (La
FÁTIMA DO SUL - PARALISAÇÃO NACIONAL
Caminhoneiros prometem fechar rodovia nesta segunda-feira das 07h às 18h em Fátima do Sul
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Luzia descobre armação de Karola contra ela
EMOCIONANTE
Alunos arrecadam dinheiro para professor cearense que não recebe salário há mais de 2 meses
TRAIÇÃO
Jovem desabafa sobre traição de mãe com marido: "Fui largada para morrer na UTI"
FATALIDADE
Aluno de 12 anos morre após ser atingido por trave de gol
HEROI
‘Perdeu tiozão”: guarda municipal impede assalto a loja e troca tiros com suspeitos