Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 20 de setembro de 2018
SADER_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Número de cheques sem fundo sobe 5,8% em novembro

28 Dez 2004 - 10h31

O número de cheques devolvidos por falta de fundos em novembro de 2004 foi 5,8% maior do que o registrado no mesmo período no ano passado. É o que apontam dados da Serasa divulgados nesta terça-feira.

Com relação ao mês anterior, a inadimplência diminuiu 4,1%. Segundo técnicos do órgão, efeito da injeção do 13º salário na economia, o que permitiu que as pessoas evitassem dívidas.

No período, foram compensados 179,6 milhões de cheques, dos quais 2,9 milhões acabaram devolvidos por falta de fundos, o que corresponde a 16,3 cheques devolvidos a cada mil.

Segundo o estudo da Serasa, de janeiro a novembro de 2004 foram compensados 1,920 bilhão de cheques, dos quais 30,4 milhões voltaram sem fundos.

Em igual período do ano anterior, o número de cheques compensados foi de 2,036 bilhões, contra 31,9 milhões de cheques devolvidos. No acumulado do ano até novembro, o índice de cheques por insuficiência de fundos a cada mil compensados situou-se em 15,9%, contra o índice de 15,7% no mesmo período de 2003, apresentando aumento de 1,2%.

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
‘Desejo continuar com a minha profissão, mas temo pela minha vida’, diz professor agredido em aula
SOB INVESTIGAÇÃO
Jovem é encontrada morta dentro do quarto e esposo está desaparecido
MORTE NO DETRAN
Jovem sofre parada cardíaca durante prova para tirar CNH
REALITY SHOW
‘A fazenda’: conheça os 16 participantes da nova edição
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Laureta é presa por causa de armação de Luzia
REALITY SHOW
“A Fazenda 10”: Gabi Prado passa mal e Nadja vira alvo dos participantes
SURRA
Video: Homem faz proposta sexual e é agredido de cinta no meio da rua
REALITY SHOW
Em 1ª dia de 'A Fazenda', Ana Paula ganha carro e vira meme
ABANDONO
Dois dias sem comer: irmãos de 2 e 4 anos são encontrados sozinhos em casa
PESQUISA ELEITORAL
Ibope: Haddad cresce em todos os segmentos; Bolsonaro só entre os mais ricos