Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Nova decisão mantém prefeito de Cassilândia afastado

31 Mai 2007 - 09h47

Minutos depois que foi informado da decisão de que retornaria à administração municipal, o prefeito de Cassilândia, José Donizete Ferreira de Freitas (PT), foi afastado novamente do cargo devido a uma nova ação cautelar ajuizada pelo MPE (Ministério Público Estadual). Ele foi comunicado sobre o novo processo que corre em segredo de Justiça e teve seu afastamento determinado por mais 90 dias.

O desembargador Luiz Carlos Santini, da 1ª Seção Cível do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), havia concedido liminar garantindo que Donizete retornasse ao cargo após ter sido afastado inicialmente por 30 dias e depois ter o afastamento prorrogado por mais 180 dias. O prefeito de Cassilândia foi afastado depois da descoberta de esquema de fraude, desvio de dinheiro e agiotagem na Prefeitura.

O advogado de defesa de Donizete, Fernando Peró Correa Paes, deve ir hoje a Cassilândia para analisar o novo processo e apresentar o recurso. O processo estaria em segredo de Justiça porque solicita a quebra de sigilo bancário do prefeito. Ontem, o desembargador concedeu efeito suspensivo ativo ao agravo de instrumento, analisado pela juíza Jeane de Souza Barboza Ximenes, em substituição na 1ª Vara de Cassilândia, que prorrogou o afastamento do prefeito e do vice-prefeito Sebastião Pereira da Silva (PSB), conhecido como Tião da Marieta, por mais 180 dias, até que fossem concluídas as investigações realizadas pelo MPE.

A decisão do desembargador era válida apenas para o prefeito, pois o vice deveria permanecer afastado. Na sentença, o desembargador Santini alega que José Donizete será encaminhado para o cargo até o julgamento do mérito do agravo de instrumento em primeira instância, que decidirá o destino final do cargo de administrador público de Cassilândia.

Na decisão em primeira instância, a juíza determinou que o prefeito, o vice, os servidores Ana Regine Arantes, Ivete Vargas Rocha de Souza, Luceni Quintina Correia, Orange Resende e Silva, Waldimiro José Cotrim Moreira e o contador da prefeitura Jorge Yoshishilo Kobaiashi fiquem afastados da Prefeitura por 180 dias, período que a magistrada reputou necessário e suficiente ao cumprimento dos atos processuais de intimação, defesa prévia, recebimento da ação civil pública, contestação e produção de provas em juízo.

 

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

BBB 19
Vanderson é eliminado e vai prestar depoimentos sobre casos de agressão
INVESTIGAÇÃO
Mourão volta a dizer que é preciso investigar Flávio Bolsonaro e punir se for o caso
HEROI
Porteiro ganha homenagem: salvou criança de 3 anos que caiu na piscina (VIDEO)
FAMOSIDADES
Aos 67 anos, Amado Batista assume namoro com jovem de 19 anos de idade
LUTO - TV
Ator Caio Junqueira morre no Rio uma semana após acidente
ANJO DA GUARDA
Amigo dá lar a mulher que viveu 40 anos internada no HC
MAMATA
General corta contratinho de R$ 30 milhões para manter jornalistas no exterior
PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes