Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 20 de março de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

No Brasil, 400 mil crianças trabalham em serviços domésticos

30 Abr 2007 - 10h27
 

Principal ocupação das mulheres no Brasil - empregando 17,5% das trabalhadoras brasileiras -, os serviços domésticos não costumam oferecer nenhum tipo de segurança. A maioria das domésticas está na informalidade e a atividade é também a porta de entrada para crianças no mercado de trabalho.

Em um setor que desrespeita os direitos das trabalhadoras adultas - 27,5% delas recebem menos de um salário mínimo -, a situação das crianças pode ser ainda pior: há menores trabalhando em serviços domésticos por salários de até R$ 30 por mês. Segundo um levantamento da Organização Internacional do Trabalho (OIT), cerca de 400 mil crianças brasileiras, a grande maioria meninas, fazem algum tipo de trabalho doméstico por pouco dinheiro.

É o caso da menina Elizabeth, de 15 anos, que vive no Recife (PE) e recebe R$ 30 mensais para cuidar do filho de uma vizinha. Além disso, ajuda a tomar conta dos irmãos menores em casa. Elizabeth está dois anos atrasada na escola. Ela segue o caminho profissional da mãe, que tem 44 anos, sempre trabalhou como doméstica e nunca teve carteira assinada.

 

 

 

TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo