Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 20 de março de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Na TV, Marta volta a atacar Kassab e "apagão de FHC"

15 Out 2004 - 14h12
Marta Suplicy (PT), que tenta a reeleição em São Paulo, voltou hoje a centrar fogo no candidato a vice da chapa de José Serra (PSDB), o deputado pefelista Gilberto Kassab, defendeu a cobrança da taxa do lixo e atacou o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

Gilberto Kassab, que chefiou a Secretaria de Planejamento por um ano na gestão Celso Pitta (1997-2000), foi o principal alvo da petista durante debate na TV Bandeirantes, ontem. Marta afirmou que caso Serra deixe o cargo, "a turma do Pitta volta a governar a cidade".

Hoje, ela repetiu as críticas na TV e em encontro com professores. "É bom lembrar que foi Pitta o responsável pela situação caótica da saúde em São Paulo e que o vice do Serra, o Kassab, foi secretário de Planejamento de Pitta", disse em entrevista ao SPTV, da Rede Globo.

Questionada sobre as taxas criadas em sua gestão, Marta disse que a da iluminação poderá ser retirada em dois anos. "Já implantamos 15 mil novos pontos de luz e faremos mais 25 mil. Isso tem um custo e a gente precisava do dinheiro para fazer."

Na seqüência, Marta atacou FHC ao se defender da cobrança da taxa do lixo. Ela também havia criticado a crise energética do governo FHC no debate. "Todo mundo foi obrigado a economizar luz [na gestão FHC] porque não houve planejamento. Os aterros da cidade estão superlotados", disse.

Ela também voltou a falar de sua "sintonia" com o governo federal e que após a eleição de Lula a cidade passou a receber mais recursos. "São Paulo não tem dinheiro para que se faça tudo o que é necessário e precisa de recursos federais. Os recursos federais vem da Presidência, e eu estou trabalhando em sintonia com o presidente Lula."

"Quando Serra era Ministro da Saúde o governo federal repassava para São Paulo apenas R$ 14 por cidadão (para ser aplicado na saúde). Com o ministro Humberto Costa, o repasse agora é de R$ 84 por cidadão", afirmou.

A prefeita licenciada terminou a entrevista afirmando que quer continuar no cargo "porque fiz um bom governo e porque sou mulher. É importante a cidade de São Paulo ter uma mulher como prefeita".

 

 

Folha Online


Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo