Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 16 de julho de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Murilo cobra liberação de crédito para safra de verão no MS

24 Ago 2004 - 18h01

Brasília, 24 – O deputado Murilo Zauith (PFL-MS) pediu hoje, da tribuna, que o Banco do Brasil disponibilize as linhas de crédito necessárias para o financiamento da próxima safra de verão, no Estado do Mato Grosso do Sul, um dos maiores produtores de grãos do país. Ele lembrou que o governo federal prometeu liberar neste ano aproximadamente R$ 40 bilhões para a safra de verão, que se inicia em setembro.

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) prevê uma demanda de  R$ 56 bilhões de reais, mas, até agora, o governo não liberou, por meio do Banco do Brasil, os recursos necessários para que o produtor possa tocar sua lavoura”.

 
                  “Por incrível que pareça, apesar das grandes safras do ano retrasado, do ano passado, mesmo com a seca que houve na região do Mato Grosso do Sul, com a safra deste ano, o produtor rural está descapitalizado, porque em março, quando colheu a safra de verão, principalmente a de soja, plantada ano passado, uma saca do grão valia 50 reais. Hoje ela vale 34 reais no mercado” explicou Zauith.


                    O parlamentar pefelista destacou também que o produtor rural que guardou seu produto para que pudesse agora disponibilizá-lo para adquirir os insumos adubo e óleo diesel necessários para tocar a lavoura não pode contar com o valor de venda da soja, que ele pensava que seria de 50 reais a saca. Ele contabilizou que o produtor está perdendo mais de 30% por saco de soja que armazenou. Então, a seu ver, seria relevante que o Governo disponibilizasse o dinheiro prometido para a safra de verão.

Como as pesquisas mostram que apenas 13% dos produtores se encontram em condições de tocar a lavoura com recursos próprios e que 70% deles não conseguem obter nem metade do crédito necessário à taxa fixa de 8,75% ao ano, estabelecida no plano do governo, a única opção que resta é buscar recursos a juros livres que já estão batendo na casa entre 18% a 22% ao ano, o que assusta o setor e pode trazer conseqüências altamente indesejáveis para toda a economia brasileira, justo no momento em que o agronegócio nacional apresenta taxas de crescimento invejáveis.

“O próprio governo reconhece que a demanda por crédito tem sido superior ao volume ofertado e anunciou a disposição de regulamentar novas opões de financiamento privado, como alternativa à escassez de recursos de fonte oficial”, informou o deputado para acrescentar que a questão é se as medidas a serem anunciadas chegarão a tempo e se os custos da novas opções serão suportáveis.
 
 
Fátima News / Assessoria

Deixe seu Comentário

Leia Também

BARBÁRIE
Moça de 22 anos é agredida até a morte após se negar a fazer sexo
COMOÇÃO
Jovem Lenara, filha de vice prefeito morre vitima de câncer
100 REMEDIOS
Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios;veja aqui a lista dos medicamentos cortados
ABANDONADA NO ALTAR
Morre jovem que casou sozinha após ser abandonada no altar
TRAGEDIA NA RODOVIA
Morte trágica de três pessoas na PR-082, comove população
BRIGA DE FAMILIA
Pai desfere 15 golpes de facão em filho adolescente
VIOLENCIA DOMESTICA
Pai é morto a marteladas pelo filho um dia antes de aniversário
NÃO QUER QUE ELE USE
Mãe apaga narguilé do filho adolescente e leva chinelada
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que está apaixonado de verdade por Maria da Paz em 'A dona do pedaço'
VAQUINHA VIRTUAL
Com dinheiro de vaquinha, morador de rua que ajudou idosa durante temporal no Rio compra casa