Menu
SADER_FULL
segunda, 18 de novembro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Municípios aliados recebem mais verbas federais

5 Ago 2004 - 07h05
Os maiores municípios administrados por partidos da base aliada do governo federal estão recebendo, em média, quatro vezes mais investimentos do que a média das grandes cidades governadas pela oposição. Nas 15 cidades com maior média de recursos, 12 Prefeituras são do PT.

Reportagem da Folha de S. Paulo publica dados do Sistema de Acompanhamento de Gastos Federais (Siafi) atualizados até o dia 2 de agosto. Dos 70 maiores municípios do país, aqueles administrados pelos partidos governistas recebem em média R$ 1,4 por habitante. Já para as cidades governadas pelos partidos da oposição a Lula, as verbas federais são R$ 0,33 por habitante.

Os recursos avaliados são aqueles destinados exclusivamente a investimento, ou seja, não incluem as transferências obrigatórias nem verbas de custeio, informa a Folha.

Aracaju, administrada por Marcelo Déda (PT), candidato à reeleição, é a campeã no recebimento de verbas federais. São R$ 3,1 milhões de recursos já pagos, média de R$ 6,4 por habitante, além de outros R$ 22,6 milhões empenhados.

A segunda cidade mais beneficiada é Teresina, administrada pelo PSDB. A capital piauiense tem uma média de liberação de R$ 5,6 por habitante. Recife, administrada pelo petista João Paulo, também candidato à reeleição, aparece em terceiro lugar, com R$ 4,4 milhões liberados de investimentos no período, média de R$ 3,3 por habitante.

Os empenhos das 43 maiores cidades administradas por governistas somavam R$ 295 milhões, e já haviam sido liberados R$ 54 milhões. As 26 maiores cidades administradas pela oposição somavam R$ 71 milhões de empenhos, contra R$ 7,1 milhões de liberação.

São Paulo é a cidade que, em termos absolutos, recebe mais recursos no país: são R$ 52,5 milhões de empenhos, sendo que R$ 15,6 milhões já foram liberados

"É a utilização descarada da máquina em favor dos candidatos deles", afirmou o deputado Pauderney Avelino (PFL-AM), integrante da Comissão de Orçamento do Congresso.

De acordo com o jornal, as assessorias de imprensa dos ministérios do Planejamento e da Coordenação Política afirmaram as liberações de verbas obedecem às prioridades e aos mecanismos de cada ministério ao qual o projeto esteja vinculado. Guido Mantega e Aldo Rebelo já negaram possíveis motivações políticas.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÁTIMA DO SUL - NATAL NA CACAU SHOW
Já é Natal na Cacau Show, confira e faça sua reserva dos deliciosos panettones em Fátima do Sul
OBESIDADE MORBIDA
Mulher de 230 quilos pede ajuda: ‘Está muito difícil minha vida’
EXECUÇÃO
Adolescente grávida tem residência invadida e executada com vários disparos
TATUAGENS
Influenciadoras ganham dinheiro exibindo tatuagens para fãs
TECNOLOGIA
Conheça o Xiaomi Mi Note 10, lançamento chinês com câmera quíntupla
Brasil
Chuvas causam deixam mais de 500 desabrigados
TECNOLOGIA - SE LIGA AÍ
Celulares pré-pagos de 17 Estados devem ser recadastrados até segunda-feira
MA FASE
Com gol de Messi, Brasil é derrotado pela Argentina e prolonga má fase
IDENIZAÇÃO
Justiça de São Paulo determina bloqueio de passaporte do ex-jogador Roberto Carlos
REVIRAVOLTA
Ex-governadora Rosinha vira doceira e evita falar de política: ‘Tudo deixa trauma’